7 de jul de 2017

Família Teixeira de Castro - Parte 3

Família Teixeira de Castro

O patriarca de dois ramos formados no Brasil desta família foi Joaquim Antônio Teixeira de Castro, que nascera por volta de 1816, no Norte de Portugal, onde também iniciou estudos para se tornar padre. Estudos estes já bem adiantados em 1836, interrompidos por ter sido expulso da entidade religiosa. O motivo teria sido um desentendimento havido com um padre do corpo docente do colégio. Tornando-se sobremaneira persona non grata no reino português, por ser a religião então unida ao estado. Ele acabou indo para a vizinha região da Galiza. Tinha conhecimentos referente à agricultura que trouxe da família e também da fabricação de pães e outros produtos derivados da farinha de trigo, adquiridos na padaria do colégio.1,4,6
Entrementes, já havia uma conterrânea sua de nome Constança Maria da Conceição, que muito o amava e com ele sonhava ter um lar. E logo no reencontro, após ele ter deixado os estudos, iniciaram um planejamento para dar um novo rumo em suas vidas. Mas, como se tornou impossível naquelas circunstâncias organizarem suas vidas em Portugal, fizeram então um pacto: o de virem para o Brasil e aqui se casarem e viverem. E em 1836, para poder viajar, ele alterou alguns dados seus, tirando o seu passaporte como sendo natural da vizinha Galiza e resolveu vir primeiro do que ela para o Brasil.1
E foi num domingo, dia 01 de janeiro de 1837, dizendo contar apenas, dezoito anos de idade, que Joaquim Antônio Teixeira de Castro zarpou da cidade do Porto com destino ao Brasil pela galera Lusitano – que era um tipo de embarcação de três mastros com grandes velas arredondadas. Desembarcou no porto do Rio de Janeiro, no dia 21 de fevereiro de 1837, uma terça-feira de lua cheia, depois de exaustivos 51 dias de viagem, isto provavelmente por causa das paradas programadas e também pelas calmarias da Costa da África. Joaquim Antônio Teixeira de Castro era pela relação de passageiros, o de número 105, dentre os 124 que vieram desconfortavelmente na embarcação.2
Numa quarta-feira, dia 08 de março de 1837, depois de transcorridos quinze dias da sua chegada ao Rio de Janeiro, ele compareceu ao Escritório de Controle de Imigrantes da Polícia da Corte e disse que morava por ora na Lapa do Desterro, número 19, trabalhando numa padaria. Já nas anotações que se encontram à margem direita do mesmo documento constam que ele era possuidor das seguintes características pessoais: trigueiro (moreno claro), de estatura ordinária (normal), de cabelos castanhos, olhos pardos, nariz e boca regulares.3
A Lapa do Desterro, onde ele provisoriamente passou a residir e a trabalhar, era um lugar muito frequentado pelos portugueses recém-chegados à cidade do Rio de Janeiro. Era na época a parte da Cidade que mais havia se desenvolvido desde o fim do reinado de Dom João VI. A referida Rua Lapa do Desterro, começava na igreja de Nossa Senhora do Carmo e ia até a Rua Direita, no centro da Capital do País.
Depois vamos encontrá-lo já por volta ano de 1840, estabelecido em Magé, na então Província do Rio de Janeiro,4 convivendo estável e conjugalmente, com Constança Maria da Conceição,5 que chegou de Portugal depois dele; sem tampouco oficializarem o casamento religioso nos anos subsequentes.1
Em Magé nasceram os filhos: Maria Joaquina de Castro, por volta de 1841;5 João Zeferino de Azevedo Castro, em 1844 aproximadamente,6,7 e Ana de Azevedo Castro.1 Dentre estes, só a Ana permaneceu solteira, enquanto os outros dois vieram a se casar,1 e lhes deram 13 netos.
A família transferiu-se para Minas Gerais provavelmente no início da década de 1850, estabelecendo-se numa área bem próxima do local onde se formou o Distrito de Providência, no Município e Comarca de Leopoldina. Pelo ano de 1855 faleceu Constança Maria da Conceição, que contava apenas cerca de 37 anos de idade e após 15 anos de vida conjugal.
Viúvo com três filhos ainda na menoridade, Joaquim Antônio Teixeira de Castro, já com cerca de 41 anos de idade, casou-se em 1856, com Carolina Augusta de Siqueira, viúva sem filhos do capitão Lucas, proprietário da fazenda Sossego (já demolida), situada também naquelas cercanias.1
Joaquim Antônio Teixeira de Castro foi proprietário do sítio Gratidão, situado no lugar então denominado “Córrego do Rocha”, adquirida de Antônio Gomes da Rocha, provavelmente desmembrada da sesmaria de Manuel Gonçalves da Rocha.8 Esta referida sede já foi demolida há muitos anos.
Além de ajudar a criar os três enteados, chamados: Maria Joaquina, João Zeferino e Ana, a Carolina Augusta de Siqueira Castro deu-lhe mais seis filhos, que foram os seguintes: Antônio Augusto, Maria Luíza, José Augusto, Francisco Augusto, Joaquim Antônio e Luiz Augusto.1 Dentre os quais, exceto o Francisco Augusto que faleceu ainda criança, os outros cinco chegaram à idade adulta e se casaram. E estes geraram mais 39 netos; totalizando portanto 52 netos.1
Carolina Augusta de Siqueira Castro morreu num domingo, dia 14 de novembro de 1880, na sede do sítio Gratidão,9 distante poucos quilômetros, da estação ferroviária de Providência, no Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Presumimos que ela tenha falecido com cerca de 53 anos de idade e tinha cerca de 24 anos de casada.
Já, o Joaquim Antônio Teixeira de Castro morreu numa terça-feira, dia 31 de janeiro de 1893, às 11 horas e 30 minutos, em domicílio no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Pelo registro de óbito, contava 76 anos de idade.79


Capítulo 1 – Geração de Joaquim Antônio Teixeira de Castro
com Constança Maria da Conceição.
§ 1 – Maria Joaquina de Castro casada com
Mariano Carvalho da Costa.
§ 2 – João Zeferino de Azevedo Castro casado com
Leopoldina Telles de Freitas.
§ 3 – Ana de Azevedo Castro. Solteira.
Capítulo 2 – Geração de Joaquim Antônio Teixeira de Castro
com Carolina Augusta de Siqueira Castro.
§ 4 – Antônio Augusto Teixeira de Castro casado com
Martiniana Maria de Jesus.
§ 5 – Maria Luiza Teixeira de Castro casada com
Antônio Olímpio do Canto Brum.
§ 6 – José Augusto Teixeira de Castro, antes do
casamento, com Justina Alves de Souza.
§ 7 – José Augusto Teixeira de Castro, antes do
casamento, com Eulália Maria da Conceição.
§ 8 – José Augusto Teixeira de Castro casado com
Francisca Alminda de Almeida.
§ 9 – Francisco Augusto Teixeira de Castro. Falecido
ainda criança.
§ 10 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro Filho
casado com Maria José de Almeida.
§ 11 – Luiz Augusto Teixeira de Castro e sua primeira
esposa, Maria Teresa Pacheco Vieira.
§ 12 – Luiz Augusto Teixeira de Castro e sua segunda
esposa, Julieta Vasques de Miranda.

Família Teixeira de Castro Capítulo 2
Geração de Joaquim Antônio Teixeira de Castro
com Carolina Augusta de Siqueira Castro.


I Joaquim Antônio Teixeira de Castro ficando viúvo por volta de 1855, casou-se em 1856, com Carolina Augusta de Siqueira, viúva sem filhos do capitão Lucas, que fora proprietário da fazenda do Sossego – sede já demolida – que ficava situada na região onde se originou o Distrito de Providência, no Município de Leopoldina (MG),1 passando então a se chamar Carolina Augusta de Siqueira Castro. Sendo esta nascida em Minas Gerais, por volta de 1830, pouco mais ou menos e que morreu no dia 14-11-1880, domingo – depois de aproximadamente 24 anos de casada – na sede do sítio Gratidão, local que fica situado próximo também do Distrito de Providência.9 Joaquim Antônio Teixeira de Castro morreu no dia 31-01-1893, terça-feira, aos 76 anos de idade.10 Seus corpos jazem sepultados no cemitério de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.
Ascendência da esposa:
1 – Carolina Augusta de Siqueira Castro. Ela é natural do lugar denominado Boa Vista na então freguesia de Barbacena, em área hoje pertencente ao Município de Piau, Minas Gerais. Filha legítima de [2] Francisco Antunes de Sequeira e de [3] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Casou-se em 1856, com o agricultor (I) Joaquim Antônio Teixeira de Castro, viúvo que ficara de Constança Maria da Conceição. Ela faleceu no dia 14-11-1880, domingo, na sede do Sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. E seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais.1,9,15
Pais:
2 – Francisco Antunes de Sequeira. Nascido no ano de 1808 na Boa Vista, em terras do atual Município de Piau, Estado de Minas Gerais e foi aí batizado na capela de Santa Ana da Boa Vista pelo Padre José Dias de Carvalho (seu tio pelo lado paterno), no dia 12-07-1808, terça-feira, tendo por padrinhos: Guilherme Francisco Rosa e Maria Eufrásia. Ele era agricultor e se casou com [3] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. No início da década de 1850 se transferiu com sua família para a freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, onde permaneceu. Nos registros religiosos de Angustura, o seu nome sempre aparece escrito como Francisco Antunes de Siqueira; e cujo sobrenome é desta forma passado aos seus descendentes. Ele era filho de [4] Manuel Antunes de Sequeira e de sua mulher, [5] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa.1,15,16,17,19
3 – Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Nascida no ano de 1810 e foi batizada pelo padre Antônio Rodrigues Lobato na ermida do Bandeira, situada em área formadora do Distrito de São João da Serra, no Município de Santos Dumont, Minas Gerais, no dia 15-06-1810, sexta-feira, tendo por padrinhos: o seu tio paterno, Reverendo Manuel Gonçalves Couto e sua avó paterna, [13] Mariana Angélica Gonçalves. Casada com [2] Francisco Antunes de Sequeira. Ela faleceu na freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Já quando viúva notamos também a mudança que fez em seu nome, alterando-o para Francisca Carolina Costa, como se verifica em diversos assentos de cerimônias religiosas em Angustura. Era filha legítima do alferes (6) Francisco Gonçalves Couto e de [7] Ana Zeferina Côrtes.1,15,18
Avós paternos:
4 – Manuel Antunes de Sequeira. Filho legítimo de [8] Francisco Antunes de Sequeira e de [9] Teodósia Dias Pereira, nascido no início do ano de 1778, na sede do sítio Ribeirão do Papagaio, em Santana dos Montes, Minas Gerais; e foi aí batizado na capela do Morro do Chapéu no dia 21-03-1778, sábado. Casou-se em 05-11-1804, segunda-feira, na ermida de Nossa Senhora das Dores do Curral Velho, situada em terras do atual Município de Antônio Carlos, Minas Gerais, com [5] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa. O casal foi proprietário na Boa Vista, na então freguesia de Barbacena, em área hoje pertencente ao Município de Piau, Minas Gerais. Ele faleceu com 63 anos e cerca de 4 meses de idade, no dia 17-06-1841, quinta-feira, em Santana dos Montes, Minas Gerais.16,17,19
5 – Ana Maria Joaquina de Santa Rosa. Filha legítima de [10] Manuel Francisco Rosa e de [11] Maria do Rosário, natural da então Capitania de Minas Gerais. Casada com [4] Manuel Antunes de Sequeira. Ela mais tarde passou a usar o nome: Ana Maria de Jesus. O casal gerou seis filhos, todos nascidos na Boa Vista, em área pertencente hoje ao Município de Piau, Minas Gerais, que foram: 1) Manuel Antunes de Sequeira nascido em 22-04-1806 e casado com Maria Pereira Zebral, esta natural da freguesia de São Martinho, Trás-os-Montes, Portugal, falecida por volta de 1851, filha do capitão Domingos Pereira Zebral e Maria Teresa de Jesus e neta paterna de Manuel Gonçalves de Castro e Ana Fernandes; 2) Maria Carolina do Rosário batizada em 02-04-1807 e casada em 30-10-1826 com o capitão Manuel Pereira de Assis Alvim batizado em 26-12-1796, este filho do capitão-mor José Pereira de Alvim e Quitéria Umbelina Gomes Ferreira e neto paterno de Gervásio Pereira de Resende Alvim nascido na sede da fazenda do Engenho em Carrancas, Minas Gerais e de sua conterrânea Ana Antônia de Paiva; 3) Francisco Antunes de Sequeira batizado em 12-07-1808 e casado com Francisca Carolina Gonçalves Côrtes batizada em 15-06-1810, casal este que faz parte deste relatório; 4) Ana Antunes de Sequeira nascida em 07-09-1809 e casada com o tenente Prudente José Correia; 5) Eufrásia Felismina batizada em 12-05-1811 e casada com José Ferreira Armond; e 6) Custódio José Antunes de Sequeira batizado em 28-02-1813.16,17,19,20,21,22,23,24,25,26
Avós maternos:
6 – Francisco Gonçalves Couto. Alferes, nascido e batizado em Rio Espera, na freguesia de Itaverava, Minas Gerais. Casou-se no dia 10-05-1808, terça-feira, na ermida de Santa Ana do Bandeira, situada em terras do atual Distrito de São João da Serra, Município de Santos Dumont, Minas Gerais, com [7] Ana Zeferina Côrtes, que faz parte deste relatório. Com o falecimento da esposa, Francisco Gonçalves Couto casou-se pela segunda vez com Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira, sendo esta filha legítima do Guarda-Mor Antônio Agostinho Lobo Leite Pereira nascido em Cachoeira do Campo, Município de Ouro Preto, Minas Gerais e de Ana Francisca de Ávila e Silva, mineira de Congonhas.15,18,27,29,31,32,87
7 – Ana Zeferina Côrtes. Nascida no mês de dezembro de 1783, na sede da fazenda Contramestre, em Carandaí, Minas Gerais. Foi primeira mulher de [6] Francisco Gonçalves Couto; já a segunda foi Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira.15,18,27,29,31
Bisavós:
8 – Francisco Antunes de Cerqueira. Nascido por volta de 1727, em Aboim da Nóbrega, Concelho de Vila Verde, Braga, Portugal. Casou-se com [9] Teodósia Dias Pereira no dia 08-02-1762, segunda-feira, no oratório de Nossa Senhora do Rosário do sítio do Cará, dos pais da noiva, na então freguesia de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo (Barbacena). Mais tarde o seu nome se transformou em Francisco Antunes de Sequeira. Ele faleceu em 1789 na sede do sítio Ribeirão do Papagaio, em Santana dos Montes, Minas Gerais.16,19,30,33
9 – Teodósia Dias Pereira. Foi batizada no dia 12-02-1747, domingo, na capela de Nossa Senhora da Ajuda do Faria, na freguesia de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, atual Barbacena, Minas Gerais.16,19.30,33
10 – Manuel Francisco Rosa.16
11 – Maria do Rosário. 16
12 – Manuel Gonçalves Couto. Guarda-Mor, nascido e batizado por volta do ano de 1745, na freguesia de Gondomil, Valença, Portugal. Casou-se em Itaverava, Minas Gerais, com [13] Mariana Angélica Gonçalves. Ele faleceu por volta do ano de 1815 em Minas Gerais.15,19,27,29,32
13 – Mariana Angélica Gonçalves. Nascida em Itaverava, Minas Gerais. Faleceu por volta de 1813 em Minas Gerais.15,19,27,29,32
14 – Antônio Gonçalves Côrtes. Nascido no dia 13-10-1738, segunda-feira, em Moreira do Rei, Portugal. Faleceu em 04-01-1805, sexta-feira, na sede da fazenda Contramestre, em terras hoje pertencentes ao Município de Carandaí, Minas Gerais. Seu corpo desceu à sepultura no dia 05-01-1805, sábado, junto à porta principal da capela de Nossa Senhora da Glória, em Carandaí; contava 66 anos, 2 meses e 22 dias de idade. 15,27
15 – Ana Gonçalves Rodrigues. Nascida no dia 06-03-1760, quinta-feira, na então freguesia de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, atual Barbacena, Minas Gerais. Tinha 18 anos, 5 meses e 15 dias de idade ao se casar com Antônio Gonçalves Côrtes numa sexta-feira dia 21-08-1778, na capela de Nossa Senhora da Glória, na atual Carandaí, então filial da matriz de Nossa Senhora da Conceição de Prados, Minas Gerais. 15,27
Trisavós:
16 – Francisco Antunes. Natural de Aboim da Nóbrega, no Concelho de Vila Verde, Braga, Portugal.19,30,33
17 – Isabel de Cerqueira. Também natural de Aboim da Nóbrega, Concelho de Vila Verde, Braga, Portugal.19,30,33
18 – Jacó Dias de Carvalho. Nascido em São Tiago de Anhões, Monções, Viana, Portugal, onde foi batizado na igreja de São Tiago no dia 29-10-1691, domingo. Veio para o Brasil onde se casou em Taubaté quando tinha 34 anos e cerca de 2 meses de idade, com [19] Francisca Pereira da Silva. Transferiu-se com a esposa para Minas Gerais onde fundou o sítio do Cará, no atual Município de Diogo de Vasconcelos, onde nasceram-lhe os filhos. Faleceu na sede de seu Sítio, no ano de 1731, com a idade de 39 para 40 anos.28,33
19 – Francisca Pereira da Silva. Nascida em Taubaté, São Paulo, onde também foi batizada no dia 19-04-1705, domingo. Casou-se também em Taubaté, São Paulo, em 04-01-1726, sexta-feira, com a idade de 20 para 21 anos. Faleceu no dia 10-09-1765, terça-feira, na sede do sítio do Cará, localizado em área pertencente ao Município de Diogo de Vasconcelos, Minas Gerais. Ela contava 60 anos e cerca de 5 meses de idade. Seu corpo jaz sepultado dentro da matriz de Nossa Senhora da Piedade, em Barbacena, Minas Gerais.28,33
24 – Joaquim Gonçalves. Portugueses moradores em Gondomil, Valença do Minho.19
25 – Maria Rodrigues. Natural de Portugal.19
28 – Manuel Côrtes. Nascido no dia 24-04-1707, domingo, em Moreira do Rei, Portugal, onde se casou aos 26 anos, 7 meses e 8 dias de idade, com [29] Maria Gonçalves. Morreu aí no dia 24-06-1760, terça-feira, aos 53 anos e 2 meses de idade. O Manuel Côrtes era filho legítimo dos portugueses, [56] Antônio Côrtes (??-09-1669—17-12-1746) e de [57] Luzia Novais (13-12-1672—26-07-1712), casados em 13-12-1705, domingo; sendo ele natural de Moreira do Rei e ela de Areal.15
29 – Maria Gonçalves. Nascida em 09-02-1708, quinta-feira, em Vilela, Bemposta, Portugal. Casou-se em 07-12-1733, domingo, em Moreira do Rei, Portugal, com [28] Manuel Côrtes; e tinha então: 25 anos, 9 meses e 28 dias de idade. Era filha legítima dos portugueses, [58] Pedro Gonçalves (31-01-1673—12-03-1732) e de [59] Francisca Gonçalves (02-10-1674—19-02-1720), casados em Moreira do Rei, no dia 29-09-1706, quarta-feira; sendo ambos naturais de Vilela, Bemposta e falecidos em Digão, Vilela.15
30 – João Rodrigues Vale. Nascido pelo que dizem, no dia 15-04-1728, quinta-feira, em São Martinho de Ruivães, Vieira do Minho, Braga, Portugal. Casou-se no Brasil aos 22 anos de idade, com [30] Isabel Ribeira. E faleceu em Barbacena (MG) no dia 22-06-1781, sexta-feira, aos 53 anos, 2 meses e 7 dias de idade, após completar 30 anos e 4 meses de casado. João Rodrigues Vale era filho legítimo dos portugueses: [60] João Rodrigues também chamado por João Rodrigues da Eusébia, nascido no dia 14-05-1691, segunda-feira e de [61] Joana Gonçalves nascida em 08-02-1686, sexta-feira; e que se casaram no dia 13-05-1716, quarta-feira.15,35
31 – Isabel Ribeiro de Lima também chamada de Isabel Ribeira. Foi batizada em 19-11-1738, quarta-feira, na capela de São José do Ribeirão de Alberto Dias, na atual cidade de Ressaquinha, Minas Gerais. Casou-se com [30] João Rodrigues Vale, em Barbacena (MG) no dia 22-02-1751, segunda-feira, com a idade de 12 para 13 anos. Ela faleceu no dia 25-11-1823, terça-feira, em Barbacena, Minas Gerais; passados 42 anos, 5 meses e 2 dias em estado de viuvez. Isabel Ribeiro de Lima era filha legítima de [62] Manuel Machado Pestana, natural de Nossa Senhora do Rosário, ilha de São Jorge, nos Açores e de [63] Ana Francisca Garcia, natural da Vila de São José, atual Tiradentes, Minas Gerais; e que se casaram no dia 16-04-1736, segunda-feira, na igreja de Nossa Senhora da Piedade, na atual cidade de Barbacena, Minas Gerais, Brasil.15,34,35


§ 4 – Antônio Augusto Teixeira de Castro.


II-4 Antônio Augusto Teixeira de Castro. Agricultor, nascido no dia 05-10-1857, segunda-feira, na sede do sítio Gratidão, nas proximidades donde surgiu o Distrito de Providência, no Município e Comarca de Leopoldina (MG). Tendo sido batizado em 20-10-1857, terça-feira, na igreja de São José, em Além Paraíba (MG). No dia 10-04-1880, sábado, aos 22 anos, 7 meses e 5 dias de idade ele se casou na igreja de São Sebastião, em Leopoldina (MG), com Martiniana Maria de Jesus, sendo esta natural de Piedade, atual Rio Claro (RJ), filha do lavrador José Coelho Lourenço e de sua mulher Matildes Maria de Jesus; em cerimônia celebrada pelo então vigário da Paróquia, Padre José Francisco dos Santos Durães (natural da Bahia); e tendo servido como testemunhas: o tenente Lauriano João Celestino Ferreira e Júlio da Silva Bizarro. Em 26-12-1881, Antônio Augusto Teixeira de Castro encontrava-se residindo em Paraíba do Sul (RJ). Deste casal só consegui encontrar um filho até o momento; e não obtive mais notícias.9,36,37,50
III-1 Cícero. Ele nasceu no dia 07-08-1883, terça-feira, na freguesia de Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, onde também foi batizado em 26-09-1883, quarta-feira, pelo Padre Henrique de Souza Borges Acioli, vigário da paróquia. Foram seus padrinhos: Alfredo Renault e Filomena Cíntia de Araújo Renault. Sem mais notícias.69

§ 5 – Maria Luiza Teixeira de Castro.

II-5 Maria Luiza Teixeira de Castro. Conhecida por "Maricota" no seio familiar. Nascida e batizada por volta de 1859 na sede do sítio Gratidão, nas proximidades do lugar em que se desenvolveu o Distrito de Providência, no Município e Comarca de Leopoldina (MG). Tinha cerca de 18 anos de idade quando se casou pelo ano de 1877 com o agricultor Antônio Olímpio do Canto Brum; tendo este nascido por volta de 1847, na freguesia do Santíssimo Sacramento, na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Ela em virtude do casamento adotou o nome: Maria Luiza de Castro Brum. O casal foi proprietário de dois sítios denominados: Recanto e Limoeiro, situados em São Luiz, atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande e Comarca de Além Paraíba (MG), onde moraram e cultivaram. O Antônio Olímpio do Canto Brum morreu na sede do sítio Recanto, no dia 06-09-1913, sábado, aos 66 anos de idade, tendo o seu corpo sido sepultado no Cemitério do Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba (MG).9,38,50
Ascendência do marido:
1 – Antônio Olímpio do Canto Brum.
Pais:
2 – Doutor Antônio do Canto Brum. Natural da Bahia e filho legítimo de [4] Bernardo Ferreira Reguengo e de [5] Isabel Feliciana Brum. Ele se casou no dia 25-09-1840, sexta-feira, no oratório dos pais da noiva na freguesia do Sacramento, na cidade do Rio de Janeiro, com [3] Maria Joana Alves Branco natural da Bahia. Ocupou diversos cargos importantes na Capital Federal entre eles o de Auditor da Marinha e o de Juiz no "Juizo dos Feitos da Fazenda Nacional da Primeira Instância", à Rua dos Ciganos, 49. Ele faleceu na cidade Rio de Janeiro no dia 12-11-1858, sexta-feira, após 18 anos, 1 mês e 16 dias de casado.38,39,40,41
3 – Maria Joana Alves Branco. Nascida pelo que dizem, no dia 23-06-1825, quinta-feira, na Bahia. Filha primogênita do [6] segundo visconde de Caravelas – Manuel Alves Branco e da [7] viscondessa de Caravelas – Joana Carneiro Alves Branco (Joana Carlota Carneiro de Campos quando solteira). Casou-se na cidade do Rio de Janeiro com o Doutor [2] Antônio do Canto Brum e adotou Maria Joana Alves Brum, como nome de casada. Com a morte do marido em 1858, que era funcionário do Império, ela passou então a ser pensionista do Estado. Por volta de 1877 e o casamento de seu filho [1] Antônio Olímpio do Canto Brum, ela adquiriu terras a poucos quilômetros da recém-construída estação ferroviária de São Luiz, que hoje é o Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Aí, fundou e passou a morar no sítio Limoeiro, próximo ao Sítio Recanto do filho. Ela morreu em seu domicílio no dia 27-02-1887, domingo, às 21 horas, em decorrência de lesão cardíaca; contava 61 anos, 8 meses e 4 dias de idade e seu corpo desceu à sepultura no dia seguinte no Cemitério de Angustura. Ela chegara a contemplar o nascimento de quatro de seus nove netos.38,39,41
Avós paternos:
4 – Bernardo Ferreira Reguengo. Natural da Bahia e casado com [5] Isabel Feliciana Brum. Sem mais notícias.39
5 – Isabel Feliciana Brum. Natural da Bahia e foi casada com [4] Bernardo Ferreira Reguengo. Sem mais notícias.39
Avós maternos:
6 – Manuel Alves Branco – o segundo visconde de Caravelas, com honras de Grandeza. Nascido no dia 07-06-1797, quarta-feira, em Salvador, Bahia. Era filho legítimo de [12] João Álvares Branco e de [13] Ana Joaquina de São Silvério. No ano de 1822 recebeu diploma de Bacharel em Direito, formado pela Universidade de Coimbra, em Portugal. Voltando ao Brasil, iniciou suas atividades ocupando cargos importantes no judiciário da província da Bahia e culminando com brilhantismo no alto escalão do Governo Imperial. Em sua carreira, foi: juiz de fora, em Santo Amaro, na Bahia; contador geral interino do Tribunal do Tesouro Público da Bahia, por Decreto de 04-01-1832; deputado à Assembleia Geral, pela Bahia, de 1830 a 1833; redator do Código do Processo Criminal e um dos colaboradores do Ato Adicional de 1834; senador do Império, pela Bahia, em 1837; ministro da Justiça, de 16-01-1835 até 14-10-1835 e, interinamente, de 02-02-1844 até 23-05-1844, e ministro dos Estrangeiros; ministro do Império em 1837, 1845 e 1847; ministro da Fazenda em 1837, 1839, 1844, 1845 e 1847; presidente do Conselho em 1847 e 1848. Foi famoso pelos seus notáveis dotes oratórios e pelas suas grandes qualidades morais. Era poeta nas horas vagas e deixou poesias estimadas. Foi honrado pelo Imperador Dom Pedro II, com o título de visconde de Caravelas, com honras de Grandeza, por Decreto de 02-12-1854, o segundo com este título.
Alguns fatos marcantes da sua trajetória política: em 11-10-1831, a Câmara dos Deputados rejeita um projeto seu que autorizava as províncias a elaborar cada uma a sua Constituição particular. Projeto esse, elaborado e apresentado por ele junto com os seus colegas: Antônio Ferreira França, Ernesto Ferreira França e Fernandes da Silva. Quando ministro dos Negócios Estrangeiros, celebrou com a Inglaterra um tratado, que o Parlamento não aprovou, para a repressão do tráfego de escravos africanos. Em 16-05-1837, tomou posse no Ministério constituído pelo Regente Feijó, que sucedendo ao Gabinete Limpo de Abreu, governou até 19-09-1837, quando pela primeira vez foi elevado ao poder o novo Partido Conservador. Em 01-09-1839 começou o Ministério de Manuel Alves Branco que governou até 23-05-1840; sucedeu-lhe o Gabinete organizado por Lopes Gama; e ambos pertenciam ao Partido Conservador. Em 02-02-1844, houve a formação do quarto Gabinete ministerial de Manuel Alves Branco, da Fazenda. Foi, também, interino da Justiça até 23-05-1844, quando foi substituído por Manuel Antônio Galvão. Em 22-05-1847, já no Partido Liberal, Manuel Alves Branco organizou o Gabinete que, o também liberal, Holanda Cavalcanti formara em 02-05-1846; e governou até 08-03-1848, quando passou o poder a outro ministério do mesmo partido.
Foi oficial da imperial Ordem do Cruzeiro.
Casou-se na matriz do Santíssimo Sacramento e Santa Ana, em Santana, Salvador, Bahia, no dia 25-09-1824, sábado.
Faleceu no dia 13-07-1855, sexta-feira, em sua chácara Monte de Ouro, em Niterói (RJ); contava exatos 58 anos, 1 mês e 6 dias de idade, após 30 anos, 9 meses e 18 dias de casado.39,41,42,47
7 – Joana Carlota Carneiro de Campos – viscondessa de Caravelas, com honras de Grandeza. Nascida em Salvador, Bahia. Casou-se no dia 25-09-1824, sábado, na matriz do Santíssimo Sacramento e Santa Ana, na freguesia de Santana, em Salvador, Bahia, em cerimônia celebrada pelo Padre Manuel Coelho de Sampaio e Menezes, Vigário da Paróquia; no qual serviram como testemunhas o Doutor Joaquim Anselmo Álvares Branco Munis Barreto e Francisco Manuel da Cunha, moradores na Capital Baiana. Faleceu na cidade do Rio de Janeiro. Era filha de [14] Joaquim Carneiro de Campos e de sua mulher [15] Maria Joaquina.39,41,42,43,47
Bisavós:
12 – João Álvares Branco. Casado com [13] Ana Joaquina de São Silvério; e filho de [24] Domingos Branco e de sua mulher [25] Inês Álvares. Morador na freguesia de Santo Antônio além do Carmo, na Capital Baiana.42,47,48
13 – Ana Joaquina de São Silvério. O seu nome está conforme consta no registro de casamento de João Alves Branco (que era irmão do segundo visconde de Caravelas, Manuel Alves Branco), com dona Constança Maria Eugênia de Campos (que era irmã da viscondessa de Caravelas, dona Joana Carlota Carneiro de Campos) celebrado em 29-07-1821, domingo, na matriz do Santíssimo Sacramento e Santa Ana, em Santana, na Capital Baiana. Dona Ana Joaquina de São Silvério foi casada com [12] João Álvares Branco. Sem mais notícias.48
14 – Joaquim Carneiro de Campos. Natural da Bahia. Ele foi Provedor da Alfândega da Bahia (1828).46,47,48
15 – Maria Joaquina. Sendo o seu nome de casada: Maria Joaquina de Campos. Sem mais notícias.46,47,48
Trisavós:
24 – Domingos Branco. Bahia.42
25 – Inês Álvares. Bahia.42
28 – José Carneiro de Campos. Natural de São Salvador de Penamaior, em Penamaior, Paços de Ferreira, Bispado do Porto, Portugal. Foi o patriarca da família Carneiro de Campos, da Bahia.42,45
29 – Custódia Maria do Sacramento.42
Tetravós:
56 – Manuel Carneiro. Natural de Portugal.42,45
57 – Josefa de Campos. Natural de Portugal.42,45
58 – Tomás de Arruda Pimentel. Nascido e batizado no dia 06-03-1696, terça-feira, na freguesia de Água de Pau, Lagoa, ilha de São Miguel, Açores. Casado pelo que dizem, em 29-07-1728, quinta-feira, na Bahia.42,44
59 – Rosa Maria da Assunção.42
Quintos avós:
112 – João Carneiro.45
113 – Maria de Sousa.45
114 – Antônio de Campos.45
115 – Maria Francisca.45
116 – Manuel de Arruda Pimentel. Natural da freguesia de Água de Pau, Lagoa, ilha de São Miguel, Açores.44,46
117 – Inês de Oliveira. Natural da freguesia de Água de Pau, Lagoa, ilha de São Miguel, Açores.44,46
118 – Thomé Machado Barcelos. Natural da freguesia de São Bartolomeu dos Regatos, Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores, que emigrou para a Bahia.46
119 – Helena da Cruz. Natural da Bahia, Brasil.46
Sextos avós:
230 – Francisco Dias.46
236 – José Machado de Barcelos. Era natural da freguesia de São Mateus da Calheta, Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores.46
237 – Maria da Encarnação. Natural também da freguesia de São Mateus da Calheta, Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores.46
Antônio Olímpio do Canto Brum e sua esposa, Maria Luiza de Castro Brum tiveram nove filhos.
III-1 Maria do Canto Brum. Ela nasceu por volta de 1878, em São Luiz, atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais. Era conhecida no seio familiar por "Pituta." Casou-se com Venâncio Gottschalk de Almeida, passando a se chamar Maria Brum de Almeida. O casal sempre residiu no Estado de Minas Gerais. Inicialmente esteve morando na cidade de Leopoldina; depois no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba; e mais tarde se transferiu para Belo Horizonte, onde permaneceu em definitivo.56,57,71
Ascendentes do marido até os trisavós:
1 – Venâncio Gottschalk de Almeida. Nasceu em Leopoldina, Minas Gerais e faleceu em Belo Horizonte.56,57,71
Pais:
2 – Antônio José de Almeida. Fazendeiro, que foi proprietário da fazenda Caeté em Leopoldina, Minas Gerais; cidade onde nasceu, viveu e faleceu. Era filho de [4] Antônio de Almeida Ramos e de sua segunda mulher, [5] Rita Bernardina de Andrade. Foi primeiro marido de [3] Ana Paula de Almeida.56,57
3 – Ana Paula de Almeida. Natural de Leopoldina, Minas Gerais e aí falecida. Era também chamada de Ana Venância de Almeida. Filha legítima de [6] Venâncio José de Almeida e Costa e de [7] Ana Paula de Sena. Foi casada duas vezes: em primeiras núpcias com [2] Antônio José de Almeida; e ao ficar viúva, com José Gonçalves de Oliveira Ribeiro, popularmente conhecido por José Retratista. Deixou geração só do primeiro casamento.56,57
Avós paternos:
4 – Antônio de Almeida Ramos. Foi casado duas vezes. Ao ficar viúvo de Maria Constança de Jesus, contraiu segundas núpcias com [5] Rita Bernardina de Andrade. Era irmão de [6] Venâncio José de Almeida e Costa e de [15] Maria Venância de Almeida. Filho legítimo do fazendeiro [8] Manuel Antônio de Almeida e de [9] Rita Esméria de Jesus.56,57
5 – Rita Bernardina de Andrade. Foi segunda mulher de [4] Antônio de Almeida Ramos. Moradora em Leopoldina, Minas Gerais, onde faleceu por volta do ano de 1858.56,57
Avós maternos:
6 – Venâncio José de Almeida e Costa. Agricultor, casado com sua sobrinha [7] Ana Paula de Sena. Era irmão de [4] Antônio de Almeida Ramos e de [15] Maria Venância de Almeida. Filho legítimo do fazendeiro [12] Manuel Antônio de Almeida e de [13] Rita Esméria de Jesus.56,57
7 – Ana Paula de Sena. Era filha de [14] João Gualberto Ferreira Brito e de sua mulher, [15] Maria Venância de Almeida.56,57
Bisavós
8 – Manuel Antônio de Almeida. Nascido no dia 19-08-1782, segunda-feira, em Santa Rita de Ibitipoca, Minas Gerais; e aí batizado na capela de Santa Rita, no domingo, dia 08-09-1782. Faleceu no ano de 1872, aos 90 anos de idade, na cidade de Leopoldina, Minas Gerais.56,57
9 – Rita Esméria de Jesus. Provavelmente natural de Minas Gerais e falecida no dia 20-01-1865, sexta-feira, em Leopoldina, Minas Gerais.56,57
12 – Manuel Antônio de Almeida (A mesma pessoa de números 8 e 30).
13 – Rita Esméria de Jesus (A mesma pessoa de números 9 e 31).
14 – João Gualberto Ferreira Brito – que foi vereador em Leopoldina, Minas Gerais (23-03-1856). Era filho de [28] Joaquim Ferreira Brito e de sua mulher, [29] Joana Maria de Macedo. Ele se casou três vezes. Sua primeira esposa foi [7] Maria Venância de Almeida, que faz parte desta ascendência; a segunda foi Rita Teresa de Jesus; e a terceira foi Joaquina Euquéria de Almeida, viúva que ficara de Manuel Tomás Pereira de Almeida.56,57
15 – Maria Venância de Almeida. Foi a primeira mulher de [14] João Gualberto Ferreira Brito. Era irmã de [4] Antônio de Almeida Ramos e de [6] Venâncio José de Almeida e Costa. Filha legítima de [30] Manuel Antônio de Almeida e de [31] Rita Esméria de Jesus.56,57
Trisavós:
16 – Antônio de Almeida Ramos. Fazendeiro, natural da freguesia de Landal, Caldas da Rainha, Leiria, Portugal. Casada com [17] Maria de Oliveira Pedrosa.56,57
17 – Maria de Oliveira Pedrosa. Ela foi batizada em 20-02-1738, na freguesia de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, atual Barbacena, Minas Gerais. Casada em 28-07-1757, na capela de Santa Rita, em Santa Rita de Ibitipoca, Minas Gerais.56,57
24 – Antônio de Almeida Ramos (A mesma pessoa de número 16).
25 – Maria de Oliveira Pedrosa (A mesma pessoa de número 17).
28 – Joaquim Ferreira Brito – tenente.57
29 – Joana Maria de Macedo.57
30 – Manuel Antônio de Almeida (A mesma pessoa de números 8 e 12).
31 – Rita Esméria de Jesus (A mesma pessoa de números 9 e 13).
Venâncio Gottschalk de Almeida e sua esposa, Maria Brum de Almeida tiveram nove filhos.
IV-1 Antônia Brum de Almeida. Ela se casou com João Leite Caillaux, filho de Raimundo Nonato Caillaux e de Teodora Leite. Seu nome de casada é Antônia de Almeida Caillaux. Casal residente em Belo Horizonte, Minas Gerais. Ambos já falecidos. Sem mais notícias.56,57
V-1 Hilda Caillaux. Natural de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais. Casou-se com Geraldo Rodrigues.56,57
VI-1 Mary Ane Caillaux. Casou-se com Ivaldo Souza Bacelar.57
VII-1 Cíntia Cailaux Bacelar. Ela é casada com Marcelo Moraes de Andrade.57
VIII-1 Matheus Bacelar de Andrade.57
V-2 João de Almeida Caillaux. Natural da Capital Mineira e aí residente. Sem mais notícias.56,57
V-3 Washington Almeida Caillaux. Ele é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais; e aí também residente. Sem mais notícias.56,57
IV-2 José de Almeida Brum. Foi representante comercial em Leopoldina, Minas Gerais, onde também residia. Casou-se com Madalena Rocha, que adotou o nome: Madalena Rocha Brum. Ele faleceu em Belo Horizonte.56,57
V-1 Venâncio Brum.56,57
V-2 Mílton Brum.56,57
V-3 Hílton Brum.56,57
V-4 Mary Márcia Brum. Casou-se em Belo Horizonte, com Gilberto José Scheffer e adotou o nome de Mary Márcia Brum Scheffer.56,57
VI-1 Bruno Augusto Brum Scheffer. Ele é natural de Belo Horizonte Minas Gerais, onde se casou com Rafaela Friche de Carvalho, que adotou o nome de Rafaela Friche de Carvalho Scheffer.231
VII-1 Allegra Friche de Carvalho Brum Scheffer. Natural de Belo Horizonte Minas Gerais.231
VI-2 Juliano Augusto Brum Scheffer. Ele é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais.231
VI-3 Fabiane Mary Brum Scheffer. Ela é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Casou-se nesta mesma capital com ......... Medeiros Veiga e adotou o nome de Fabiane Mary Brum Scheffer de Medeiros Veiga.231
VII-1 Alícia Brum Scheffer de Medeiros Veiga. Natural de Belo Horizonte.231
VII-2 Sophia Brum Scheffer de Medeiros Veiga. Natural de Belo Horizonte.231
V-5 Norma Rocha Brum.56,57
IV-3 Nilo de Almeida Brum. Ele faleceu ainda solteiro, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Sem geração.56,57
IV-4 Ari. Primeiro filho com este nome. Nascido no dia 10-04-1897, sábado, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais; e que foi registrado no dia 26-04-1897, segunda-feira. Morreu ainda bebê, entre os dias: 26-04-1897 e 01-05-1898.71
IV-5 Ari Brum de Almeida. Segundo filho com este nome. Nascido no dia 02-05-1898, segunda-feira, às 10 horas, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Formado em Odontologia e funcionário público aposentado do Estado de Minas Gerais – em serviços da área técnica. Foi casado com dona Maria das Dores de Almeida.56,57,71
V-1 Regina Brum de Almeida. Filha única, casou-se com o médico, Doutor José de Oliveira Braga e adotou o nome de Regina de Almeida Braga.56,57
IV-6 Joaquim Brum de Almeida. Foi professor e jornalista. Como educador, prestou relevantes serviços em diversos estabelecimentos de ensino de Belo Horizonte, tais como: Instituto João Pinheiro, Ginásio-Escola Lima Duarte e Colégio Antônio Carlos; esteve lecionando também na Escola Alfredo Pinto, de Sete Lagoas, Minas Gerais. Como jornalista, trabalhou no Departamento de Circulação dos Diários Associados, na Capital Mineira. Foi casado com Maria das Mercês Chelotti, cujo nome de casada era: Maria das Mercês Chelotti de Almeida. Eles tiveram três filhos.56,57
V-1 Márcia Lúcia Chelotti Brum de Almeida.56,57
V-2 Fernando Roberto Brum de Almeida. Ele é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde se casou com Élida Maria França Aguiar. Ele faleceu em Belo Horizonte.56,57,231
V-3 Antônio Eustáquio Chelotti Brum de Almeida. Ele é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde se casou com Hilda de Fátima Rocha, que adotou o nome de Hilda de Fátima Rocha Brum de Almeida.56,57,231
VI-1 Vinicius Augusto Rocha Chelotti Brum de Almeida. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde se casou com Natália Jaffar Oliveira.231
VI-2 Érika Cristina Rocha Chelotti Brum de Almeida. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde se casou com Tiago Lemos Gontijo.231
VI-3 Déborah Cristina Rocha Chelotti Brum de Almeida. Natural de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais.231
IV-7 Orsino Brum de Almeida. Trabalhou como representante comercial. Ele foi casado com Abigail Gazzi, cujo nome de casada era: Abigail Gazzi de Almeida. Eles tiveram apenas uma filha.56,231
V-1 Jussara Gazzi de Almeida. Ela se casou com Carlos Luiz Guedes Carneiro e adotou o nome de Jussara Gazzi de Almeida Carneiro. Estabelecida em Belo Horizonte, Minas Gerais.56,231
VI-1 Ana Carolina Almeida Carneiro. Ela é natural de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, onde se casou com Ulisses Soares da Silva.231
VI-2 Rafael Almeida Carneiro. Ele é natural de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais.231
IV-8 Astrogilda Brum de Almeida. Nascida em 12-11-1902, quarta-feira, às 5 horas, em Leopoldina, Minas Gerais, onde foi registrada no dia 17-11-1902, segunda-feira. Ela foi V-1 casada com Amarílio Pinto.56,57,81
V-1 Marilda Brum de Almeida. Sem mais notícias.56,57
V-2 José Pinto. Sem mais notícias.56,57
V-3 Marina Pinto. Sem mais notícias.56,57
V-4 Marisa Pinto. Sem mais notícias.56,57
IV-9 Amaziles Brum de Almeida. Nascida no dia 24-08-1904, quarta-feira, às 17 horas, em Leopoldina, Minas Gerais. Ela se casou no dia 24-11-1926, quarta-feira, na casa de seus pais, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, com Antônio José Romão de Castro, comerciante domiciliado em Recreio, Minas Gerais. Este, nascido em São Fidélis, Rio de Janeiro, no dia 20-04-1906, sexta-feira, filho legítimo de Tertuliano Plácido de Castro, falecido na cidade do Rio de Janeiro, e de Cristiana Romão de Castro, residente em Nova Friburgo, Rio de Janeiro. O casamento foi presidido pelo Juiz de Casamentos, João Teixeira Marinho, perante as testemunhas: Mário Villas Boas de Figueiredo Côrtes, Margarida de Campos Bastos Côrtes, Oscar Teixeira Marinho e Georgina Côrtes Marinho.56,57,79,81
V-1 Válter Brum de Castro. Ele era economista, casado com dona Célia. Sem mais notícias.56,57
V-2 Lourdes Brum de Castro. Casou-se com Francisco Palhares Diniz e adotou o nome de Lourdes Brum Palhares.56,57
V-3 Humberto Brum de Castro. Solteiro no ano de 1965. Sem mais notícias.56,57
IV-10 Ana Brum de Almeida. Ela nascida no dia 09-10-1905, segunda-feira, às 18 horas, em domicílio, na cidade de Leopoldina, Minas Gerais. Veio a falecer no dia 10-01-1910, segunda-feira, às 21 horas, em domicílio, na fazenda Caeté, em Leopoldina, de morte natural e sem assistência médica; tinha apenas 4 anos, 3 meses e 1 dia de idade. Seu corpo foi sepultado no Cemitério Nossa Senhora do Carmo, em Leopoldina.81
IV-11 Maria Brum de Almeida. Ela nasceu por volta de 1909, em Leopoldina, Minas Gerais; e faleceu nesta mesma Cidade, numa quinta-feira, dia 02-11-1911.57
III-2 Antenor do Canto Brum. Ele nasceu numa terça-feira, dia 29-06-1880, em São Luiz, atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais; e foi batizado em 23-09-1880, quinta-feira, na igreja Madre de Deus, em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, em cerimônia celebrada pelo Padre Henrique de Souza Borges Accioli – Vigário da Paróquia. Foram seus padrinhos: Antônio Carlos Pereira Nunes e a avó paterna, Maria Joana Alves Brum.53,55
Ele se casou no ano de 1902 ou pouco antes, com sua parente, Rosa Carvalho de Castro, que adotou o nome: Rosa Carvalho de Castro Brum. Esta nascida numa terça-feira, dia 13-04-1886, e batizada em Laranjal, Minas Gerais, no dia 23-05-1886, domingo, pelo Padre Francisco Lima de Carvalho, da igreja de Nossa Senhora da Conceição, tendo por padrinhos: Manuel de Souza Rosa e Maria Joana de Jesus.4,55,70
Ascendentes da esposa até os bisavós:
1 – Rosa Carvalho de Castro (13-04-1886—07-02-1969). Nasceu em Laranjal, Minas Gerais e faleceu em Recreio, Minas Gerais.14,55,70
Pais:
2 – Mariano Carvalho da Costa (29-09-1839—07-09-1909). Ele nasceu em São José, Arrifes, ilha de São Miguel, Açores, Portugal e foi batizado no domingo, dia 06-10-1839, pelo Padre Gervásio José Tavares – Cura, na igreja de Nossa Senhora da Saúde, em Arrifes. Veio para o Brasil, onde se casou com [3] Maria Joaquina de Castro, no dia 27-11-1872, quarta-feira, em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, Brasil. Ele faleceu aos em Recreio, Minas Gerais, aos 69 anos, 11 meses e 9 dias de idade e depois de 36 anos, 9 meses e 11 dias de casado.4,11,12
3 – Maria Joaquina de Castro (cerca de 1841—22-11-1941). Nasceu em Magé, Rio de Janeiro e faleceu com 100 anos de idade, em domicílio na cidade de Recreio, Minas Gerais.4,5,14
Avós paternos:
4 – Manuel Carvalho. Filho legítimo de [8] Antonio Carvalho e de [9] Francisca dos Anjos, todos naturais de São José, Arrifes, ilha de São Miguel, Açores, Portugal.11
5 – Luiza Jacinta. Filha legítima de [10] José da Costa e de [11] Teresa de Jesus, todos naturais de São José, Arrifes, ilha de São Miguel, Açores, Portugal.11
Avós maternos:
6 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro (cerca de 1816—31-01-1893). Ele nasceu no norte de Portugal e faleceu em Trimonte, no atual Município de Volta Grande, Minas Gerais, Brasil.1,9,10
7 – Constança Maria da Conceição. Nasceu no norte de Portugal e faleceu por volta de 1855, na região formadora do Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais, Brasil.55
Bisavós:
8 – Antônio Carvalho. Natural de São José, Arrifes, ilha de São Miguel, Açores, Portugal. Casado com [9] Francisca dos Anjos.11
9 – Francisca dos Anjos. Natural de São José, Arrifes, ilha de São Miguel, Açores, Portugal.11
10 – José da Costa. Natural de São José, Arrifes, ilha de São Miguel, Açores, Portugal. Casado com [11] Teresa de Jesus.11
11 – Teresa de Jesus. Natural de São José, Arrifes, ilha de São Miguel, Açores, Portugal.11
A descendência do casal consta no endereço relatado mais acima na posição §1, I, II-1, III-4 Rosa Carvalho de Castro.
III-3 Raymundo do Canto Brum. Ele nasceu numa sexta-feira, dia 28-07-1882, em São Luiz, atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais; e foi batizado em 03-11-1882, sexta-feira, pelo Padre Henrique de Souza Borges Accioli, Vigário da Paróquia de Madre de Deus do Angu, do Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais; foram seus padrinhos: Joaquim Magalhães Ferreira e sua esposa, Virgínia Amália Vidal Magalhães Ferreira.
Raymundo do Canto Brum esteve presente no dia 08-07-1899, em casamento realizado na sede da fazenda do Rochedo no vizinho Distrito do Espírito Santo de Água Limpa, atual Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais, conforme assinatura no livro de registro. Faltavam apenas 20 dias para completar 17 anos de idade. Sem mais notícias dele. Provavelmente faleceu ainda solteiro.69,75
III-4 Maria da Conceição. Ela nasceu no dia 13-10-1884, segunda-feira, em São Luiz, atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais; e foi batizada em 12-06-1885, sexta-feira, pelo Padre Henrique de Souza Borges Accioli, Vigário da Paróquia de Madre de Deus do Angu, Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais; foram seus padrinhos: o avô pela parte materna, Joaquim Antonio Teixeira de Castro e a avó pela paterna, dona Maria Joana Alves Brum. Não encontramos mais nenhum registro dela. Provavelmente faleceu ainda criança.69
III-5 Noêmia. Ela nasceu no dia 05-12-1886, domingo, em São Luiz, atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais; e foi batizada numa segunda-feira, dia 09-05-1887, pelo Monsenhor Vitorino José da Costa Silva, Vigário Encomendado da Paróquia Madre de Deus do Angu, Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Foram seus padrinhos: o Doutor Antônio Romualdo Monteiro Manso e sua mulher, dona Ana Margarida de Miranda Monteiro Manso. Ela morreu numa quarta-feira, dia 17-10-1888, em São Luiz, atual Distrito de Trimonte. Seu corpo foi sepultado no dia seguinte no cemitério da vila de Angustura; tinha apenas 1 ano, 10 meses e 11 dias de idade.69
III-6 Luiz do Canto Brum. Ele nasceu no dia 19-11-1888, segunda-feira, em São Luiz, atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casou-se com dona Débora Dulce de Loyola no dia 25-06-1910, sábado, às 16 horas, no Distrito de Espírito Santo de Água Limpa, atual Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais, passando a assinar-se Débora Dulce de Loyola Brum. Ela nascida em 17-04-1892, domingo, em São João Marcos, Estado do Rio de Janeiro; cidade que deixou de existir entre os anos de 1941 e 1943 devido as obras para ampliação da Hidrelétrica de Lajes.
Luiz do Canto Brum que era comerciante no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, veio a falecer no dia 11-09-1955, domingo, às 19 horas e 30 minutos, em sua residência, tendo como causa mortis, insuficiência cardíaca e câncer de estômago, conforme laudo médico firmado pelo Doutor Antônio Marinho Côrtes, contava 66 anos, 9 meses e 23 dias de idade e 45 anos, 2 meses e 17 dias de casado. O corpo de ambos jazem sepultados no Cemitério de Angustura. Tiveram onze filhos.69,71,75,79,83
IV-1 Maria Aparecida de Loyola Brum. Nascida no dia 30-07-1911, domingo, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se com Manuel Loyola Moreira, em 26-05-1940, domingo, em São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais, e adotou o nome: Maria Aparecida de Loyola Moreira. Ele, também natural de Angustura, nascido em 28-07-1917, sábado.
Maria Aparecida de Loyola Moreira faleceu na cidade do Rio de Janeiro, em 19-01-1994, quarta-feira, aos 82 anos, 5 meses e 20 dias de idade e 53 anos, 7 meses e 25 dias de casada. Já, Manoel Loyola Moreira faleceu vítima de câncer, no dia 15-08-1997, sexta-feira, na cidade de Caratinga, Minas Gerais; contava 80 anos e 18 dias de idade. Os seus corpos jazem sepultados no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais.50,71,79
Ascendência do marido:
1 – Manuel Loyola Moreira. Nascido no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, no dia 28-07-1917, sábado.50,79
Pais:
2 – Manuel da Silva Moreira. Nascido cerca do ano de 1885 em Portugal. Pedreiro e mais tarde negociante no Distrito do Espírito Santo de Água Limpa, atual Água Viva, Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Minas Gerais.50,75
3 – Jocunda Eulália de Loyola Moreira — o seu nome de solteira era: Jocunda Eulália de Loyola. Nascida no dia 23-10-1890, quinta-feira, às 6 horas e 30 minutos da manhã, na casa dos pais situada na Rua Saldanha Marinho, na cidade de São João Marcos, Estado do Rio de Janeiro e que foi aí batizada pelo Cônego José Peres de Souza, no dia 31-12-1890, quarta-feira, na igreja paroquial; tendo por padrinhos de batismo: Luiz José Pereira e dona Maria das Dores Loyola; e servindo como testemunhas: José Joaquim Monteiro de Castro, de 41 anos de idade e João Franco de Souza, de 40.
A cidade onde ela nasceu, que surgira em 1739, chamava-se São João Marcos do Príncipe e mais tarde teve o seu nome simplificado para São João Marcos. A cidade deixou de existir entre os anos de 1941 e 1943, submersa nas águas represadas pela barragem do ribeirão das Lajes, para a ampliação da Hidrelétrica de Lajes. Parte do seu território é o terceiro Distrito do Município de Rio Claro (cidade onde se acham arquivados os livros de registros civis da extinta cidade de São João Marcos) e outra parte é Passa Três, quarto Distrito do mesmo Município.50,75,107
Avós paternos:
4 – Manuel Rodrigues da Silva. Natural de Portugal.75
5 – Bernardina Ferreira da Silva — sendo Bernardina Ferreira, o seu nome de solteira. Era natural de Portugal.75
Avós maternos:
6 – José Bernardes de Loyola Sobrinho. Casado com [7] Amália Santos das Dores Loyola. Filho legítimo de [12] Manuel Bernardes de Loyola e de [13] Maria das Dores Loyola. Ele foi escrivão de paz e de polícia do Distrito do Espírito Santo de Água Limpa, hoje, Água Viva, pertencente ao Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Minas Gerais.107
7 – Amália Santos das Dores Loyola — o seu nome quando solteira era: Amália Santo das Dores.107
Bisavós:
12 – Manuel Bernardes de Loyola — capitão. Falecido antes de 1890. Casado com [13] Maria das Dores Loyola. Foram moradores numa casa situada na Rua Saldanha Marinho, na cidade de São João Marcos, que deixou de existir entre 1941 e 1943.107
13 – Maria das Dores Loyola — o seu nome quando solteira era: Amália Santo das Dores.107
14 – Arceliano Rodrigues dos Santos.107
15 – Maria José dos Santos.107
Manuel Loyola Moreira e Maria Aparecida de Loyola Moreira tiveram cinco filhos.50,75,79
V-1 Sinézio José Brum de Loyola Moreira. Nascido no dia 09-02-1942, segunda-feira, em Além Paraíba, Minas Gerais. Médico gastroenterologista e odontólogo. O Doutor Sinézio José Brum de Loyola Moreira se mudou para a cidade de Caratinga, Minas Gerais, no último quartel do século passado. Pelo seu modo atencioso de ser e pelo grande conhecimento de suas atividades profissionais que dispensava a todos, sem distinção de classe social, raça ou crença, logo se tornou parte integrante da sociedade de Caratinga. Em sua carreira política foi eleito vereador da Cidade por duas vezes. Casado com dona Sônia Maria Brum de Loiola Moreira. Ele faleceu no dia 04-11-2005, sexta-feira, aos 63 anos, 8 meses e 26 dias de idade. Eles tiveram uma filha.50,231
VI-1 Cíntia Maria Brum de Loiola Moreira.50,231
V-2 Sônia Elena Brum de Loyola Moreira. Nascida em 1943 no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. É formada como professora normalista. Ela se casou com o bancário, Orestes Azambuja dos Reis Villela, nascido no ano de 1943, em Além Paraíba.
Ascendência do marido:
1 – Orestes Azambuja dos Reis Villela.50
Pais:
2 – Amadeu dos Reis Villela. Ele foi proprietário de um sítio, distante cerca de sete quilômetros do centro de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Filho legítimo de [4] Álvaro dos Reis Villela e de dona [5] Francisca Côrtes Villela – "Chiquitita".162
3 – Yvonne Azambuja dos Reis Villela. Nome de solteira: Yvonne Azambuja. Sem mais notícias.162
Avós paternos:
4 – Álvaro dos Reis Villela. Filho legítimo do fazendeiro, [8] Francisco de Andrade Villela e de sua segunda esposa, [9] Ausenda de Andrade Nunes. Casado com dona [5] Francisca Côrtes Villela.
Eles residiram na fazenda Destino situada à margem da antiga estrada Rio-Bahia, distante quatro quilômetros do centro de Além Paraíba. Minas Gerais. Foram proprietários do prédio onde hoje se encontra o "Rex Club" em Porto Novo e também das fazendas: Três Barras, Palmital.
Álvaro dos Reis Villela faleceu junto de seu filho Mílton dos Reis Villela e aproximadamente mais trinta pessoas, pelo que dizem, numa explosão de material bélico do Exército Brasileiro ocorrida pelas quinze horas do dia 03-12-1930, quarta-feira. O material bélico seria transportado para o arsenal do Exército no Rio de Janeiro, então Distrito Federal.114,116,162
5 – Francisca Côrtes Villela. O seu nome de casada era: Francisca Villela Côrtes – "Chiquitita". Nascida por volta do ano de 1890, filha legítima de [10] Domingos de Andrade Villela – "Mingote" e de sua segunda esposa, [11] Ana Augusta Teixeira Côrtes Villela. Casada com o seu parente, [4] Álvaro dos Reis Villela. falecida no dia 21-06-1955, terça-feira, na cidade de Juiz de Fora e seu corpo jaz sepultado no Cemitério da Trindade do Santíssimo Sacramento (igreja de São José), em Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Seus nove filhos: 1) – Doutor Álvaro Geraldo dos Reis Villela, médico, casado com dona Lydia Arcuri Villela (Lydia Pantaleoni Arcuri, quando solteira); 2) – Francisco dos Reis Villela, casado com dona Odei Jordão Villela (Odei Jordão, quando solteira); 3) – Amadeu dos Reis Villela, casado com dona Yvone de Azambuja dos Reis Villela (Yvone de Azambuja, quando solteira); 4) – Milton dos Reis Villela, que faleceu solteiro no dia 03-12-1930, quarta-feira; 5) – Yá dos Reis Villela, casada em 29-04-1944, em Juiz de Fora, com o médico, natural de Carangola, Minas Gerais, Doutor Itamar Paixão Souza, viúvo que ficara de dona Leny Lopes de Souza, e que adotou o nome de Yá Villela de Souza; 6) – Ed dos Reis Villela, contabilista, casado na cidade do Rio de Janeiro, com dona Cleide Pinto de Sá Villela (Cleide Pinto de Sá, quando solteira); 7) – Ely dos Reis Villela que se casou com o agropecuarista Gabriel Jurandir Junqueira Ferraz e adotou o nome de Ely Villela Ferraz; 8) – Fernando dos Reis Villela casado com dona Maria de Lourdes Ferreira Villela (Maria de Lourdes Ferreira, quando solteira), moradores na Capital Paulista; e, 9) – José Maria dos Reis Villela, funcionário da Prefeitura de Juiz de Fora, casado com dona Elazir Louro Villela (Elazir Louro, era o seu nome quando solteira).92,114,116,162
Bisavós:
8 – Francisco de Andrade Villela. Nascido na sede da fazenda do Espraiado, em São Vicente Ferrer, atual São Vicente de Minas. Ele foi batizado numa segunda-feira, dia 22-06-1829. Fazendeiro, casou-se duas vezes. Sua primeira mulher fora Rita de Andrade Penha, filha do barão de São Tomé Francisco Gonçalves Penha (18011888) e da baronesa de São Tomé Mariana Benedita de Andrade, falecida cerca de 1852. O seu segundo casamento foi com dona [9] Ausenda de Andrade Nunes. Ele era filho legítimo de [16 e 20] José Villela dos Reis e de dona [17 e 21] Francisca Paula de Jesus.113,114,116,120
9 – Ausenda de Andrade Nunes. Nascida em São Vicente Ferrer, atual São Vicente de Minas, onde foi batizada no dia 10-06-1858, quinta-feira, filha legítima de [18] Tomás Batista Corrêa Nunes e de dona [19] Rita Guilhermina de Andrade. Casou-se em 11-01-1875, segunda-feira, com o fazendeiro [8] Francisco de Andrade Villela, viúvo que ficara de dona Rita de Andrade Penha. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério Municipal de Barra Mansa, Estado do Rio de Janeiro.114,116
10 – Domingos de Andrade Villela – "Mingote". Fazendeiro, filho legítimo de [20 e 32] José Villela dos Reis e de [21 e 33] Francisca Paula de Jesus. Viúvo que ficara de Maria José Cardoso, casou-se em segundas núpcias, com [11] Ana Augusta Teixeira Côrtes. Ele faleceu no dia 02-12-1912, segunda-feira. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério da Trindade do Santíssimo Sacramento (da igreja de São José), em Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.92,114,116
11 – Ana Augusta Teixeira Côrtes Villela (17-07-1868—25-09-1937). Foi a segunda mulher de [10] Domingos de Andrade Villela. Sendo, Ana Augusta Teixeira Côrtes, o seu nome de solteira. Nascida em Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais e que faleceu aos 44 anos, 2 meses e 8 dias de idade, no Distrito São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério da Trindade do Santíssimo Sacramento, em Além Paraíba. Era filha legítima de [22] Antônio Augusto de Figueiredo Côrtes e de [23] Ana Brígida Teixeira Côrtes.69,71,114,116
Trisavós:
16 – José Villela dos Reis. Fazendeiro, batizado no dia 25-01-1797, quarta-feira, na capela da fazenda do Favacho, situada em terras do atual Município de São Vicente Ferrer, Minas Gerais. Casou-se em Carrancas, Minas Gerais, com [17 e 21] Francisca Paula de Jesus. Ele era filho legítimo do capitão, [32 e 40] Francisco Tomás Villela e de [33 e 41] Joaquina Tomásia dos Reis.113,114,116
17 – Francisca Paula de Jesus. Nascida por volta de 1809. Casou-se no dia 30-06-1824, quarta-feira, na ermida de dona Luciana, em Carrancas, Minas Gerais, com o fazendeiro, [16 e 20] José Villela dos Reis. Ela era filha legítima de [34 e 42] Francisco José de Andrade e Melo e de [35 e 43] Ana Rosa de Jesus.113,114,116
18 – Tomás Batista Correia Nunes. Ele foi batizado em 30-07-1822, terça-feira. Era filho legítimo de [36] Francisco Correia Nunes e de [37] Camila Leopoldina de Paiva. Era casado com dona [19] Rita Guilhermina de Andrade.114,116
19 – Rita Guilhermina de Andrade. Era filha legítima do capitão [38] Zeferino José dos Santos e de dona [39] Matilde de Andrade Nunes. Era casada com [18] Tomás Batista Correia Nunes.114,116
20 – José Villela dos Reis (a mesma pessoa de número 16).
21 – Francisca Paula de Jesus (a mesma pessoa de número 17).
22 – Antônio Augusto de Figueiredo Côrtes (Ano de 1840—18-10-1903). Natural de Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Em 15-11-1862, sábado, casou-se com [23] Ana Brígida Teixeira Côrtes. Fazendeiro produtor de café. Ele faleceu, viúvo, aos 63 anos de idade, na sede da fazenda do Aterrado, em Além Paraíba. Era filho legítimo de [44] Joaquim Justiniano de Figueiredo Côrtes e de [45] Ana Inácia Teixeira.15,69,71,114
23 – Ana Brígida Teixeira Côrtes. Sendo seu nome quando solteira: Ana Brígida Teixeira. Ela se casou num sábado, dia 15-11-1862, com [22] Antônio Augusto de Figueiredo Côrtes. Faleceu no dia 21-06-1897, segunda-feira, na sede da fazenda do Aterrado, em Além Paraíba, Minas Gerais. Era filha legítima do alferes [46] João Teixeira Marinho e de [47] Maria Teresa Duarte.15,71,114
Tetravós:
32 – Francisco Tomás Villela capitão. Ele nasceu em 23-12-1769, sábado, em terras situadas no atual Município de Serranos, Minas Gerais. Era filho legítimo do capitão [64 e 80] Domingos Villela e de [65 e 81] Maria Clara do Espírito Santo.
Ele foi também fazendeiro e se casou três vezes. Sua primeira mulher foi [33 e 41] Joaquina Tomásia dos Reis, que segue neste costado. Seu segundo casamento foi com Luiza Cândida da Silva e o terceiro, com Maria Teresa de Jesus, sendo esta, viúva de Antônio Joaquim Duarte e filha do alferes Antônio Martins Borralho e de sua mulher, Senhorinha Antônia do Nascimento.116,117
33 – Joaquina Tomásia dos Reis. Ela se casou com o capitão [32 e 40] Francisco Tomás Villela. Era filha legítima de [66 e 82] Domingos dos Reis e Silva e de [67 e 83] Andreza Dias de Carvalho.116,117
34 – Francisco José de Andrade e Melo. Natural de Lavras, Minas Gerais; filho legítimo de [68] José de Andrade Peixoto e de [69] Mariana Vitória do Nascimento. Casou-se com [35] Ana Rosa de Jesus, em 08-06-1806, domingo, na ermida de Nossa Senhora da Conceição, em Carrancas, Minas Gerais. Alferes e fazendeiro, que foi o fundador de São Vicente Ferrer, atual cidade de São Vicente de Minas, Estado de Minas Gerais. Ele era irmão da baronesa de Alfenas (I) – Inácia Constança de Andrade.113,114
35 – Ana Rosa de Jesus. Também chamada de Ana Rosa Ludovina de Paiva. Filha legítima de [70] Luiz José de Paiva e Silva e de [71] Joana Rosa de Jesus. Casada com o alferes [34] Francisco José de Andrade e Melo.113,114
36 – Francisco Correia Nunes. Ele era natural de Portugal e casado em Minas Gerais, com dona [37] Camila Leopoldina de Paiva.114,116
37 – Camila Leopoldina de Paiva. Foi batizada no dia 10-04-1800, quinta-feira. Era irmã do capitão [38] Zeferino José dos Santos e filha legítima de [74 e 76] Thomaz Coelho dos Santos e de sua segunda mulher, dona [75 e 77] Ana Zeferina de Paiva. Era casada com [36] Francisco Correia Nunes, natural de Portugal.114,116
38 – Zeferino José dos Santos capitão. Era também chamado de Zeferino de Andrade Coelho. Foi proprietário da fazenda da Glória, em Belmiro Braga, então pertencente ao Município de Juiz de Fora e que é hoje emancipado. Foi também o fundador da fábrica "Quinet Têxtil Limitada", no Município de Juiz de Fora, Minas Gerais. Ele era filho legítimo do tenente [74 e 76] Thomaz Coelho dos Santos, nascido no ano de 1779 em São João del-Rei, Minas Gerais e de sua segunda mulher, dona [75 e 77] Ana Zeferina de Paiva. Irmão de [37] Camila Leopoldina de Paiva. O seu casamento no dia 18-02-1822, segunda-feira, com [39] Matilde de Andrade Nunes, deu início à família Andrade Santos, em Minas Gerais.116
39 – Matilde de Andrade Nunes. Era também chamada de Matilde Cândida de Jesus. Foi batizada em Carrancas, Minas Gerais, no dia 04-07-1800, sexta-feira. Era filha legítima de [78] Custódio José de Souza Pinto, natural de São Tiago de Fonte Arcada, Penafiel, Portugal e de sua mulher, [79] Ana Esméria de Andrade, casados em 11-11-1793, segunda-feira, na atual cidade de Carrancas, Minas Gerais. A dona Matilde de Andrade Nunes casou-se no dia 18-02-1822, segunda-feira, com o capitão [38] Zeferino José dos Santos.113,114,116,117
40 – Francisco Tomás Villela (a mesma pessoa de número 32).
41 – Joaquina Tomásia dos Reis (a mesma pessoa de número 33).
42 – Francisco José de Andrade e Melo (mesma pessoa de número 34).
43 – Ana Rosa de Jesus (mesma pessoa de número 35).
44 – Joaquim Justiniano de Figueiredo Côrtes. Ele era natural da freguesia de Barbacena, Minas Gerais, onde foi batizado na capela do Bom Retiro, no dia 06-12-1816, sexta-feira. Fazendeiro casado com [45] Ana Inácia Teixeira Côrtes. Faleceu em Angustura e seu corpo foi aí sepultado no dia 22-12-1851, segunda-feira; contava apenas 35 anos de idade. Era filho do fazendeiro, [88] Manuel Gonçalves Côrtes e de sua mulher [89] Luiza Teresa de Figueiredo, sendo ela viúva de Manuel Simões Diniz, que falecera em 22-02-1808, segunda-feira, em Barbacena, Minas Gerais.15,69,90,144
45 – Ana Inácia Teixeira Côrtes. Seu nome quando solteira era: Ana Inácia Teixeira. Era casada com o agropecuarista, [44] Joaquim Justiniano de Figueiredo Côrtes.15
46 – João Teixeira Marinho Alferes. Casou-se com dona [47] Maria Teresa Duarte. Era filho do capitão [92] João Teixeira Marinho, natural de Santo André de Telões, Arcebispado de Braga, Portugal, falecido em 30-06-1839, na sede de sua fazenda São Francisco no Ribeirão do Angu, no Curato de Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Além Paraíba, Minas Gerais e de sua primeira mulher, [93] Brígida Cândida Honória da Luz. Já a segunda mulher do capitão, chamava-se Maria Teresa, que era homônima da esposa do alferes.15,71,181
47 – Maria Teresa Duarte. Era provavelmente sobrinha do marido, o alferes [46] João Teixeira Marinho e de sua primeira mulher; e neta do capitão [92] João Teixeira Marinho e de sua primeira mulher, [93] Brígida Cândida Honória da Luz.15
Orestes Azambuja dos Reis Villela e Sônia Elena Moreira Villela tiveram três filhos.50
VI-1 Débora Moreira Villela.50
VI-2 Carla Moreira Villela.50
VI-3 Caroline Moreira Villela.50
V-3 Sérgio Manoel Brum Loyola Moreira. Ele é casado com Maria Lúcia Saviolo Pitassi, que manteve o mesmo nome de solteira. Ela é normalista e secretária do arquivo da Paróquia Madre de Deus, em Angustura, onde residem. Já, o Sérgio Manoel Brum Loyola Moreira é funcionário da Prefeitura Municipal de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. O casal tem um filho.50
VI-1 Rafael Pitassi Moreira. Filho único.50
V-4 Eduardo Luiz Brum de Loyola Moreira. Formado em Medicina. Casado com dona Maria do Carmo. O Doutor Eduardo Luiz faleceu em acidente de automóvel. Eles tiveram um casal de filhos.50
VI-1 Eduardo.50
VI-2 Joana.50
V-5 Amália Maria Brum de Loiola Moreira. Ela é casada e seu marido se chama Mauro. Têm dois filhos.50
VI-1 Mauro.50
VI-2 Rodrigo.50
IV-2 Yolanda de Loyola Brum. Nascida no dia 27-08-1913, quarta-feira, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Ela se casou com Manoel Galhardo e passou a residir em Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro. Ambos já são falecidos. Tiveram quatro filhos.50,71
V-1 Edmea Brum Galhardo. Casada com Neir Ferreira de Abreu. Residentes e domiciliados em Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro. Têm três filhos.50
VI-1 Elaine.50
VI-2 Manoel Henrique.50
VI-3 Taylor.50
V-2 Elza Brum Galhardo. Residente em Nova Friburgo, Rio de Janeiro, Solteira em 2000.50
V-3 Manoel Brum Galhardo. Casado com Flávia.
VI-1 Manoela.50
VI-2 Gabriel.50
VI-3 Juliana.50
V-4 Marcelo Brum Galhardo. Casado com Irany.
VI-1 Leonardo.50
IV-3 Hercy Loyola Brum. Ele se casou com Claudete Dias, que adotou o nome: Claudete Dias Brum. Eles fixaram residência na cidade de Cordeiro, Estado do Rio de Janeiro.
O Hercy Loyola Brum faleceu no dia 07-04-2010, quarta-feira, nesta mesma Cidade. O casal deixou seis filhos.50,106
V-1 Arlene Dias Brum. Casada com Manoelino.50
V-2 Iara Dias Brum. Casada com Antônio.50
V-3 Jussara de Lourdes Dias Brum. Ela é normalista e também casada.50
V-4 Keila Auxiliadora Dias Brum. Casada e residente em Cordeiro, Estado do Rio de Janeiro.50
V-5 Jefferson Dias Brum. Casado.50
V-6 Édson Dias Brum. Casado.50
IV-4 Lafayette de Loyola Brum. Ele se casou com Neusa Camelo Santos, que adotou o nome: Neusa Camelo Brum. Eles se separaram e tiveram apenas um filho.50
V-1 Hudson Loiola Camelo Brum. Natural de Niterói, Rio de Janeiro e casado com a carioca, dona Orlene Maria de Souza, que adotou o nome de Orlene Maria de Souza Brum. Filha legítima dos portugueses, João Apolinário de Souza e de Georgina Mercedes Ferreira. O casal é residente em São Gonçalo, Estado do Rio de Janeiro.50
VI-1 Felipe de Souza Camelo Brum. Natural de São Gonçalo, Estado do Rio de Janeiro.50
VI-2 Ana Carolina de Souza Camelo Brum. Natural de São Gonçalo, Estado do Rio de Janeiro.50
IV-4 Lafayette de Loyola Brum, depois de sua separação, ele se uniu em comunhão consensual estável a Marly Rúbio. E depois de alguns anos eles se separaram. Tiveram um casal de filhos. Lafayette que residia na cidade de Niterói, já é falecido.50
V-2 Débora Loyola Rubio Brum. Casada.50
V-3 Róbson Loyola Rubio Brum. Casado com Adriana. E moradores em Niterói, Rio de Janeiro.50
IV-5 Antônio de Loyola Brum. Nascido no ano de 1918 em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se com Maria Eneses Neves, que adotou o nome de Maria Eneses Neves Brum. Fixaram residência em Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro.50
V-1 Maria Aparecida Neves Brum. Ela se casou com o comerciante Jamil Kazan, residente em Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro. Eles têm três filhos.50
VI-1 Jamil Brum Kazan. Natural de Nova Friburgo, Rio de Janeiro. Comerciante.50
VI-2 Michel Brum Kazan. Natural de Nova Friburgo, Rio de Janeiro. Ele é casado e residente nesta mesma cidade.50
VI-3 Alex Brum Kazan. Natural de Nova Friburgo, Rio de Janeiro. Ele é casado e residente nesta mesma cidade.50
V-2 Jorge Antônio Neves Brum. Ele é morador na cidade de Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro.50
IV-6 Luiz Gonzaga Castro Brum. Nascido no dia 01-03-1920, segunda-feira, em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Embora registrado simplesmente como Luiz, incorporou Gonzaga no nome. Casou-se com Ilza Cardoso, que adotou o nome: Ilza Cardoso Brum. Eles fixaram residência na cidade do Rio de Janeiro, e ambos já falecidos. Eles tiveram dois filhos.50
V-1 Luiz Manoel Cardoso Brum. Ele se casou com Sônia Moreira, que adotou o nome de Sônia Moreira Brum. O casal é residente em Jacarepaguá, na cidade do Rio de Janeiro. Eles têm um casal de filhos.50
VI-1 Débora Taís Moreira Brum.50
VI-2 Washington Moreira Brum.50
V-2 Leílson Cardoso Brum. Casou-se com dona Zuleide. O casal reside em Jacarepaguá, na cidade do Rio de Janeiro.50
IV-7 Leda de Loyola Brum. Nascida no ano de 1924, em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se com Marcelo Pitassi, nascido em 1934, nesta mesma Localidade, e adotou o nome: Leda Brum Pitassi. Ele, filho legítimo de Luiz Pitassi e de sua mulher Luiza Saviolo Pitassi, ambos naturais também de Angustura, e descendentes de famílias italianas, naturais da região da Calábria.
Marcelo Pitassi, que foi caminhoneiro e comerciante na vila de Fernando Lobo, Município de Além Paraíba, faleceu no dia 08-12-1997, segunda-feira, à 0 hora e 25 minutos, em decorrência de câncer, no Hospital São Salvador, em Além Paraíba; e seu corpo foi sepultado à tarde do mesmo dia no cemitério de Angustura. Dona Leda Brum Pitassi — professora e diretora escolar já aposentada, faleceu no dia 26-01-2014, domingo, aos 89 anos de idade.50,106
V-1 Marize de Fátima Brum Pitassi. Ela se casou com Gílson Parreira Bard e adotou o nome de Marize de Fátima Pitassi Bard. Eles fixaram residência em Cordeiro, Estado do Rio de Janeiro. Com o falecimento do marido ela se transferiu para a vila de Fernando Lobo, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Eles tiveram três filhos.50
VI-1 Raquel Pitassi Bard. Ela se casou com Josué Landeira de Souza e adotou o nome de Raquel Pitassi Bard de Souza. Eles residem na vila de Fernando Lobo, Município de Além Paraíba, Minas Gerais e o marido trabalha no "Restaurante Fundo de Quintal".50
VII-1 Leonardo Bard Pitassi de Souza.50
VI-2 Taís Pitassi Bard. Ela contraiu matrimônio com Marcelo da Silva Schumacker e adotou o nome de Taís Pitassi Schumacker. Eles residem em Cordeiro, Estado do Rio de Janeiro.50
VII-1 Laís Pitassi Bard Schumacker. Natural de Cordeiro, Estado do Rio de Janeiro.50
VII-2 Laura Pitassi Bard Schumacker. Natural de Cordeiro, Estado do Rio de Janeiro.50
VI-3 Gilcimar Pitassi Bard.50
V-2 Marcelo Luiz Brum Pitassi. Ele se casou em primeiras núpcias com Sílvia Regina Gonçalves, que adotou o nome de Sílvia Regina Gonçalves Pitassi. Foram pais de um filho.50
VI-1 Marcelo Raimundo Gonçalves Pitassi.50
V-2 Marcelo Luiz Brum Pitassi. Casou-se em segundas núpcias com Maria Conceição Montes, que adotou o nome de Maria Conceição Montes Pitassi. Sem geração em 2004. Ele faleceu em Além Paraíba, Minas Gerais, no dia 15-06-2014, domingo, aos 56 anos de idade.50,106
V-3 Stela Maris Brum Pitassi. Ela se casou com o militar Sinval Sales Filho e adotou o nome de Stela Maris Brum Pitassi Sales. O casal neste ano de 2004 é residente e domiciliado na cidade do Recife, Estado de Pernambuco.50
VI-1 André Pitassi Sales.50
VI-2 Alan Pitassi Sales.50
V-4 Wellington José Brum Pitassi. Solteiro no ano de 2004. Proprietário do "Restaurante Fundo de Quintal”, em Fernando Lobo, Município de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.50
V-5 Edward Antônio Brum Pitassi. Filho caçula. Solteiro (2004). Ele reside e trabalha na cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, onde faleceu no dia 06-12-2013, sexta-feira.50,106
IV-8 Darcy de Loyola Brum. Nascido no dia 09-03-1926, terça-feira, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, casou-se com Jovina Teixeira, que adotou o nome: Jovina Teixeira Brum.
O Darcy de Loyola Brum morreu em Além Paraíba, no dia 14-09-1984, sexta-feira, aos 58 anos, 6 meses e 5 dias de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura. Jovina Teixeira Brum, viúva, continuou morando em Além Paraíba. Eles tiveram quatro filhos.50
V-1 Luiz Cândido Teixeira Brum. Ele é casado com e reside em Angustura, Município de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.50
VI-1 Luiz Cândido Teixeira Brum Júnior. Residente em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais.50
V-2 Rejane Teixeira Brum. Ela é casada e residente na cidade de Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro.50
V-3 Darcy José Teixeira Brum. Ele é casado e residente no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.50
V-4 Carlos Alberto Teixeira Brum. Casado e residente no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.50
IV-9 José de Loyola Brum. Nascido no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. É aniversariante do dia 23 de setembro. Ele se casou pela primeira vez com Clélia Zanconato, filha de Adriano Zanconato (07-08-1892—26-12-1962) e de sua mulher. Clélia já é falecida e seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura.50
IV-9 José de Loyola Brum, viúvo, casou-se pela segunda vez com Francisca Graciane, sendo Francisca Graciane Brum o seu nome de casada. Eles passaram a residir no Bairro de Olaria, na cidade do Rio de Janeiro.
José de Loyola Brum faleceu pelo que dizem na Capital Carioca no dia 16-02-1970, segunda-feira; e seu corpo foi sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. O casal teve cinco filhos.50
V-1 Leila Graciane Brum. Ela é casada.50
V-2 José Luiz Graciane Brum. Ele é casado e residente em Jardim América, na cidade do Rio de Janeiro.50
V-3 Giovane Graciane Brum. Ele é casado.50
V-4 Lia Mara Graciane Brum.50
V-5 Gilmar Graciano Brum. Ele reside em Vigário Geral, na cidade do Rio de Janeiro.50
IV-10 Eny de Loyola Brum. Nascida e falecida no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Era solteira e sem geração. Seu corpo jaz sepultado no túmulo da família no Cemitério de Angustura.50
IV-11 Boanerges Loyola Brum. Ele é natural do Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casou-se com Maria do Carmo Santos, que adotou o nome de Maria do Carmo Santos Brum.
Boanerges Loyola Brum faleceu no dia 14-08-1997, quinta-feira, na cidade de Cordeiro, Estado do Rio de Janeiro e seu corpo jaz sepultado no cemitério local. A viúva, Maria do Carmo Santos Brum continuou morando em Cordeiro e morreu no dia 29-10-2012, segunda-feira. Seu corpo foi sepultado também no cemitério local. Eles tiveram cinco filhos.50,106
V-1 Débora Santos Brum. Casada e residente na cidade de Cordeiro, Estado do Rio de Janeiro.50
VI-1 Rodrigo.50
VI-2 Fabiano.50
V-2 Sandra Maria Santos Brum. Ela é professora e se casou com o mecânico Fernando de Jesus Tavares. Ele, filho de Antônio Nunes Tavares e de dona Lydia de Jesus Tavares. Seu nome de casada é Sandra Maria Brum Tavares. Ela já é aposentada. Eles residem em Cordeiro, Estado do Rio de Janeiro.50,231
V-3 Sânia Santos Brum. Casada e residente em Cordeiro, Estado do Rio de Janeiro.50
V-4 Margaret Maria dos Santos Brum. Ela é casada e residente em Cordeiro, Estado do Rio de Janeiro.50,231
V-5 Boanerges Luiz Santos Brum. Casado com Fabiane de Souza. São residentes em Cordeiro, Estado do Rio de Janeiro.50,231
III-7 Judith do Canto Brum. Ela nasceu no dia 27-01-1891, terça-feira, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais, e foi aí também batizada no domingo, dia 10-05-1891. Casou-se em 26-09-1914, sábado, neste mesmo Distrito, com Eugênio Cesário de Figueiredo Côrtes, viúvo que ficara de dona Paulina de Araújo Côrtes (Paulina Geralda Domingues de Araújo quando solteira); e ela passou a se chamar Judith Brum Côrtes. Ele, nascido no dia 02-07-1877, segunda-feira, em Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais e que foi aí batizado numa quinta-feira, dia 29-11-1877.
Judith faleceu no Distrito de Trimonte, no dia 08-01-1944, sábado, aos 52 anos, 11 meses e 12 dias de idade e 29 anos, 3 meses e 13 dias de casada.
Eugênio faleceu viúvo de sua segunda mulher, no dia 15-02-1966, terça-feira, contando 88 anos, 7 meses e 13 dias de idade.
O casal gerou cinco filhos, todos do sexo masculino: Jáder, Wálter, Eugênio Geraldo, Sílvio e Nélson.15,69,71,79
Ascendentes do marido até seus trisavós:
1 – Eugênio Cesário de Figueiredo Côrtes (02-07-1877—15-02-1966). Ele fora casado em primeiras núpcias no dia 10-06-1899, sábado, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, com Paulina Geralda Domingues de Araújo, que adotou o nome: Paulina de Araújo Côrtes. Esta faleceu no dia 13-01-1913, segunda-feira, na sede da fazenda Cotegipe, no citado Distrito, com 32 anos de idade e exatos 13 anos, 7 meses e 3 dias de casada.15,69
Deixou deste seu primeiro casamento, quatro filhos: 1) Maria da Glória de Araújo Côrtes nascida em 23-11-1921, sexta-feira, que passou a se chamar Maria da Glória de Araújo Porto, após o seu casamento em 15-08-1921, segunda-feira, em Angustura, com o farmacêutico Joaquim Antônio de Araújo Porto, que nascera por volta de 1895 no Distrito de Piacatuba, Município de Leopoldina, Minas Gerais e filho legítimo de Joaquim Antônio de Araújo Porto e de Felisbina Francisca de Mendonça. 2) Clotilde de Araújo Côrtes (11-05-1903—11-09-1958, natural de Angustura, Município de Além Paraíba e que faleceu solteira, em Barbacena, Minas Gerais, aos 55 anos e 4 meses de idade. 3) João de Araújo Côrtes (09-06-1904—13-10-1947), natural de Angustura, Estado de Minas Gerais e que faleceu solteiro na cidade do Rio de Janeiro aos 43 anos, 4 meses e 4 dias de idade. 4) Antônio de Araújo Côrtes nascido em Angustura, no dia 14-06-1906, quinta-feira e que se casou com Heloísa Marinho Bastos, filha legítima do médico, Doutor José Teixeira Bastos e de Eponina Teixeira Marinho.15
Pais:
2 – João Cesário de Figueiredo Côrtes.15,69
3 – Maria da Conceição Villas Boas Côrtes.15,69
Avós paternos:
4 – Joaquim José Cesário de Figueiredo (??-12-1799—09-05-1861). Era natural de Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais e foi aí batizado no dia 04-01-1800, sábado, na capela de Nossa Senhora do Pilar (que foi desativada por volta de 1850). Era filho legítimo de [8] José Antônio de Figueiredo e de sua mulher, [9] Rosa Joaquina da Costa.15,29,69
5 – Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes (1809—04-06-1886). Natural do Rio Espera, Minas Gerais e falecida em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casada com [4] Joaquim José Cesário de Figueiredo e filha legítima do alferes e fazendeiro, [10] Francisco Gonçalves Couto e de sua mulher, [11] Ana Zeferina Côrtes.15,29,69
Avós maternos:
6 – Manuel Gonçalves de Figueiredo Côrtes. Foi batizado no dia 09-02-1824, segunda-feira, na capela do Bonfim, na freguesia de Barbacena, Minas Gerais e faleceu no ano de 1899 no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Era casado com [7] Inácia Alexandrina Villas Boas Côrtes. O casal foi grande produtor de café na sua fazenda Serra Bonita, situada no Distrito de Angustura.15,69,84
7 – Inácia Alexandrina Villas Boas Côrtes. Sendo o seu nome quando solteira: Inácia Alexandrina Villas Boas Coutinho. Filha legítima do major [14] José Alexandrino Villas Boas Coutinho e de [15] Lourença Emília Villas Boas Coutinho. Nascida em 18-01-1826, quarta-feira, na cidade do Rio de Janeiro. Casou-se com o fazendeiro [6] Manuel Gonçalves de Figueiredo Côrtes e faleceu numa quinta-feira, dia 05-07-1883, aos 57 anos, 5 meses e 17 dias de idade.15,69,84
Bisavós:
8 – José Antônio de Figueiredo. Ele nasceu no dia 10-03-1756, quarta-feira, na moradia dos pais situada na Rua da Barreira, em Miragaia, Concelho do Porto, Portugal; sendo aí também batizado em 15-03-1756, segunda-feira, na igreja de São Pedro. Era filho legítimo dos portugueses [16] Antônio José de Távora de Figueiredo e [17] Luiza Teresa de Jesus.
Ele veio solteiro para o Brasil, fixando-se na Capitania de Minas Gerais, onde se casou com a viúva [9] Rosa Joaquina da Costa, pelo que dizem, no dia 17-08-1785, quarta-feira, na capela de Nossa Senhora do Pilar (que foi demolida por volta de 1850), situada no Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais; tinha então 29 anos, 5 meses e 7 dias de idade.
Ele morreu no ano de 1802, com 45 para 46 anos de idade e cerca de 15 anos de casado; e seu corpo foi sepultado dentro da capela de Nossa Senhora do Pilar.15,29,86,90
9 – Rosa Joaquina da Costa. Era filha legítima do coronel [18] Manuel Rodrigues da Costa e de [19] Joana Teresa de Jesus. Nascida no dia 17-04-1757, domingo, em Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais, tendo 28 anos e 4 meses de idade ao contrair este seu segundo matrimônio com [8] José Antônio de Figueiredo.15,29,86
Já, o seu primeiro casamento fora realizado em Barbacena, Minas Gerais, no dia 18-05-1774, quarta-feira, quando tinha 17 anos, 1 mês e 1 dia de idade, com o capitão Manuel Monteiro de Pinho; sendo este natural de São Martinho de Gândara, Oliveira de Azeméis, Portugal, filho legítimo de Antônio Monteiro de Pinho e Ana Francisca. E eles geraram dois filhos.86,90
10 – Francisco Gonçalves Couto. Alferes e fazendeiro nascido e batizado em Rio Espera, na freguesia de Itaverava, Minas Gerais. Filho do guarda-mor, [20] Manuel Gonçalves Couto e de sua mulher, [21] Mariana Angélica Gonçalves. Casou-se no dia 10-05-1808, terça-feira, na ermida de Santa Ana do Bandeira, situada em terras do atual Distrito de São João da Serra, Município de Santos Dumont, Minas Gerais, com [11] Ana Zeferina Côrtes que faz parte deste costado. Com o falecimento da esposa, Francisco Gonçalves Couto casou-se pela segunda vez com Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira, sendo esta filha legítima do Guarda-Mor Antônio Agostinho Lobo Leite Pereira nascido em Cachoeira do Campo, Município de Ouro Preto, Minas Gerais e de Ana Francisca de Ávila e Silva, mineira de Congonhas.15,18,27,29,31,32,87
11 – Ana Zeferina Côrtes. Nascida provavelmente no mês de dezembro de 1783, na sede da fazenda Contramestre, em Carandaí, Minas Gerais, então denominada Ressaca, onde foi batizada na capela de Nossa Senhora da Glória no dia 18-01-1784, domingo. Era irmã do [12] Manuel Gonçalves Côrtes e ambos filhos de [22 e 24] Antônio Gonçalves Côrtes e de sua mulher, [23 e 25] Ana Gonçalves Rodrigues. A Ana Zeferina Côrtes foi primeira mulher de [10] Francisco Gonçalves Couto, que ao ficar viúvo casou-se com Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira.15,18,27,29,31
12 – Manuel Gonçalves Côrtes. Nascido em 02-09-1779, quinta-feira, na sede da fazenda Contramestre, situada em área hoje pertencente ao Município de Carandaí, Minas Gerais; e que foi batizado no dia 13-09-1779, segunda-feira, na capela de São José do Ribeirão de Alberto Dias, na atual Ressaquinha, Minas Gerais. Faleceu no dia 25-01-1827, quinta-feira, no Ribeirão dos Aventureiros sede da fazenda Fortaleza na região do atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, com a idade de 47 anos, 4 meses e 23 dias, e após 12 anos de casado com a viúva, [13] Luiza Teresa de Figueiredo. Ele era irmão de [11] Ana Zeferina Côrtes e ambos filhos legítimos de [24] Antônio Gonçalves Côrtes e de [25] Ana Gonçalves Rodrigues.15,90
13 – Luiza Teresa de Figueiredo. Nascida no dia 02-05-1787, quarta-feira, em Registro Velho, no atual Distrito de Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais; onde foi batizada no dia 18-05-1787, sexta-feira, na capela de Nossa Senhora do Pilar, tendo por padrinhos de batismo: os seus tios maternos: Padre Manuel Rodrigues da Costa (um dos Inconfidentes Mineiros) e Maria Josefa da Costa (que foi casada com o Alferes Custódio Ferreira Guimarães).15,90
Ela foi casada duas vezes. Primeiramente na citada capela, no dia 02-05-1803, segunda-feira, ao completar 16 anos de idade, com Manuel Simões Diniz, natural de Tiradentes, Minas Gerais, que a deixou viúva no dia 22-02-1808, segunda-feira, em Barbacena, depois de 4 anos, 9 meses e 20 dias de casados; sendo ele filho do capitão Manuel Simões Diniz, que foi escrivão em Barbacena e de sua mulher, Rosa Maria da Assunção; e que tiveram quatro filhos. Pela segunda vez, ela se casou com [12] Manuel Gonçalves Côrtes, e eles tiveram cinco filhos e dando origem à família Figueiredo Côrtes (que segue neste relatório). Ela era filha legítima de [26] José Antônio de Figueiredo e de [27] Rosa Joaquina da Costa.15,90,144,147
14 – Major José Alexandrino Villas Boas Coutinho. Nascido no ano de 1789 em Minas Gerais. Filho de [28] Sebastião Martins Coutinho e de sua mulher, [29] Inácia Quitéria de Almeida e Gama. Assentou praça no Exército Brasileiro em 15-09-1803 chegando em sua brilhante e vasta carreira militar ao posto de major efetivo, em 08-06-1842. Casado em Pernambuco com [15] Lourença Emília Villas Boas Coutinho.84,85
15 – Lourença Emília Villas Boas Coutinho. Sendo Lourença Emília Jorge, o seu nome de solteira. Era filha legítima de [30] Antônio Jorge da Silva e de [31] Lourença Maria da Conceição. Nascida no ano de 1806 na cidade do Recife, Pernambuco, e falecida aos 82 anos de idade, no dia 19-01-1889, sábado, na sede da fazenda Serra Bonita, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Ao ficar viúva do major [14] José Alexandrino Villas Boas Coutinho, contraiu segundo matrimônio com o capitão Antônio Antunes de Magalhães e ao ficar viúva deste, convolou novo casamento com o tenente-coronel João Evangelista Teixeira Rios (este viúvo de sua primeira esposa, Francisca Teixeira Leite e também da segunda, Ana Esméria Teixeira).69,84
Trisavós:
16 – Antônio José de Távora de Figueiredo. Nascido por volta de 1717, em Fiolhal, Castanheiro, Carrazeda de Ansiães, Portugal. Era filho natural dos portugueses [32] Antônio Luiz de Távora de Figueiredo e de [33] Custódia Fernandes. Mais tarde ele passou a morar em Miragaia, Porto, Portugal, onde se casou com aproximadamente 30 anos de idade, no dia 12-02-1747, domingo, na igreja de São Pedro, com [17] Luiza Teresa de Jesus, sendo esta natural de Miragaia.
Em 1759 ele alterou o seu nome para: Antônio José de Figueiredo.
Morreu na Rua da Barreira, na Porta Nova, em Miragaia, Portugal, no dia 14-06-1787, quinta-feira, aos 70 anos de idade, pouco mais ou menos, depois de 40 anos, 4 meses e 2 dias de casado; e seu corpo foi sepultado no dia seguinte, na Ordem Terceira de São Francisco, no Porto.88,89,90
17 – Luiza Teresa de Jesus. Nascida provavelmente na primeira quinzena do mês de outubro de 1728, na freguesia de Miragaia, Concelho do Porto, Portugal; e foi aí batizada pelo Abade Manuel da Silva no dia 18-10-1728, segunda-feira, na igreja de São Pedro; foram seus padrinhos: José de Faria Guimarães, mercador na Rua das Flores na cidade do Porto, e Luiza Teresa Clara, com procuração apresentada por sua prima Francisca Josefa, ambas da freguesia de Miragaia; e serviram como testemunhas: o Padre Leandro da Silva Pereira e Domingos Pinto, ambos também de Miragaia. Faleceu viúva depois de 1787. Era filha de [34] Paulo Cardoso e de sua mulher, [35] Antônia Coelho de Oliveira.88,89,90
18 – Coronel Manuel Rodrigues da Costa.19,86,90
19 – Joana Teresa de Jesus.86,90
20 – Manuel Gonçalves Couto (1745—1815). Guarda-Mor natural da freguesia de Gondomil, Valença, Viana do Castelo, Portugal. Casado com [21] Mariana Angélica Gonçalves. Filho legítimo dos portugueses [40] Joaquim Gonçalves e [41] Maria Rodrigues.15,19,27,29,32
21 – Mariana Angélica Gonçalves. Natural de Itaverava, Minas Gerais.15,19,27,29,32
22 – Antônio Gonçalves Côrtes (13-10-1738—04-01-1805). Ele era natural de Moreira do Rei, Portugal. Veio para o Brasil, onde se tornou o patriarca deste grande ramo da família Côrtes. Tinha 39 anos, 10 meses e 8 dias de idade ao se casar com [23] Ana Gonçalves Rodrigues. Ele faleceu na sede da fazenda Contramestre, em terras que hoje fazem parte do Município de Carandaí, Minas Gerais, aos 66 anos, 2 meses e 22 dias de idade, e após 26 anos, 4 meses e 14 dias de casado. Era filho legítimo de [44] Manuel Côrtes e de [45] Maria Gonçalves.15,27,29,34,90
23 – Ana Gonçalves Rodrigues. Nascida no dia 06-03-1760, quinta-feira, em Barbacena, Minas Gerais. Tinha 18 anos, 5 meses e 15 dias de idade ao se casar com [22] Antônio Gonçalves Côrtes, no dia 21-08-1778, sexta-feira, na capela de Nossa Senhora da Glória, filial da matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Prados, Minas Gerais. Era filha legítima de [46] João Rodrigues Vale e de [47] Isabel Ribeira (também chamada de Isabel Ribeiro de Lima).15,27,29,34,90
24 – Antônio Gonçalves Côrtes. A mesma pessoa de número 22.15,27,29,34,90
25 – Ana Gonçalves Rodrigues. A mesma pessoa de número 23.15,27,29,34,90
26 – José Antônio de Figueiredo. A mesma pessoa de número 8.15,29,86,90
27 – Rosa Joaquina da Costa. A mesma pessoa de número 9.15,29,90
28 – Sebastião Martins Coutinho. Ajudante de milícias pago. No censo de 1804 (10 de setembro de 1804), ele morava na Rua Nova, em Ouro Preto, Minas Gerais, com sua esposa [29] Inácia Quitéria de Almeida e Gama e os filhos: Maria Inácia de 12 anos de idade, Francisca Ludovina de 9, Cipriano José de 5 e Inácia Quitéria de 3.30,84,91
29 – Inácia Quitéria de Almeida e Gama. Filha legítima do capitão [58] Manuel Gomes Villas Boas, nascido por volta de 1715 no solar de Airó, em Barcelos, Portugal e de [59] Inácia Quitéria de Almeida e Gama, carioca, e aí batizada no dia 01-01-1720, segunda-feira, que se casaram em Vila Rica, Minas Gerais. Neta Materna do capitão [118] Luiz de Almeida Ramos, nascido por volta de 1689, em Tarouca, Portugal e de sua mulher, [119] Helena Josefa Correia da Gama, nascida em Colônia do Sacramento, hoje “Colonia, Republica Oriental del Uruguay”, casados em 1714 em Vila Rica e ambos falecidos em São João del-Rei, Minas Gerais. Pelo capitão Luiz de Almeida Ramos, era bisneta de [236] Manuel de Paiva Muniz e de sua mulher, [237] Maria Ramos da Costa, ambos naturais de Portugal. Por Helena Josefa Correia da Gama, ela era bisneta do coronel [238] Leonel da Gama Belles, natural de Campo Maior, Alto Alentejo, Portugal e falecido no ano de 1727 em Colônia do Sacramento, atual “Colonia, Republica Oriental del Uruguay”; e de sua mulher [239] Maria Josefa Correia, natural de Alecrim, Lisboa, Portugal, que se casara no dia 03-05-1690, quarta-feira, na referida Colônia do Sacramento e que faleceu viúva em São João del-Rei, Minas Gerais, no dia 12-08-1737, segunda-feira. Por Manuel de Paiva Muniz, ela era trineta dos portugueses, [472] Manuel João Muniz e [473] Maria de Paiva. Por Maria Ramos da Costa, ela era trineta dos portugueses [474] Bento da Costa e [475] Ana de Almeida Ramos. E, por Maria Josefa Correia, ela era trineta dos portugueses, [478] Antônio Francisco de Oliveira [479] Bárbara Correia.30,84
30 – Antônio Jorge da Silva. Morador em Pernambuco.84
31 – Lourença Maria da Conceição. Casada com [30] Antônio Jorge da Silva.84
Filhos de Eugênio Cesário de Figueiredo Côrtes e de sua segunda esposa, Judith Brum Côrtes.
IV-1 Jáder Brum Côrtes. Ele é gêmeo com Wálter Brum Côrtes. Nascido no dia 29-01-1916, sábado, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Faleceu solteiro.15,50
IV-2 Wálter Brum Côrtes. Ele é gêmeo com Jáder Brum Côrtes. Nascido no dia 29-01-1916, sábado, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Sem mais notícias.15,50
IV-3 Eugênio Brum Côrtes — mais conhecido por “Geninho”. Nascido, no dia 13-12-1919, sábado, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Ele faleceu solteiro, em 08-08-1956, quarta-feira, na cidade de Barbacena, Minas Gerais. Tinha apenas 36 anos, 7 meses e 26 dias de idade.15
IV-4 Sílvio Brum Côrtes. Nascido no dia 19-11-1921, sábado, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais e foi batizado na igreja de São José, em Além Paraíba. Casou-se com Rita Pereira, que adotou o nome: Rita Pereira Côrtes. Residiam na cidade de Além Paraíba. Eles tiveram três filhos.15
V-1 Paulo César Pereira Côrtes.15
V-2 América Pereira Côrtes.15
V-3 Silvana Pereira Côrtes.15
IV-5 Nélson Brum Côrtes. Nascido em 1923, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais e que foi batizado na igreja de São José, em Além Paraíba. Casou-se com Celeste de Freitas, que adotou o nome: Celeste de Freitas Côrtes.
Nélson Brum Côrtes faleceu no dia 19-08-1952, terça-feira. Eles tiveram apenas uma filha.15
V-1 Nelsimara de Freitas Côrtes.15
III-8 Mário. Ele nasceu no dia 02-02-1893, quinta-feira, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais, e foi aí também batizado 86 dias depois, em 29-04-1893, sábado. Sem mais notícias, provavelmente falecido ainda criança.69
III-9 Lucy do Canto Brum. Ela nasceu no dia 04-06-1895, terça-feira, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais, e foi aí também batizada no domingo, dia 07-09-1895. Casou-se em 21-06-1915, segunda-feira, neste mesmo Distrito, com o negociante Marcelino Tayt Sohn e adotou o nome de Lucy Canto Brum Tayt Sohn. Serviram como testemunhas: Miguel Arcanjo Arantes Nogueira, Eugênio Cesário de Figueiredo Côrtes e Maria da Conceição Villela Côrtes. Ele, nascido no ano de 1899 em São Sebastião da Estrela, atual Estrela Dalva, Minas Gerais; filho do professor Guilherme Adolfo Tayt Sohn Júnior, nascido por volta de 1830, em Minas Gerais e falecido no dia 09-12-1919, terça-feira, em Estrela Dalva e de dona Generosa Maria Tayt Sohn. O Marcelino Tayt Sohn tinha um irmão por nome Manuel Adolfo Tayt Sohn casado com dona Maria Pereira Machado.71,92
IV-1 Maria da Glória Tayt Sohn. Nascida no dia 22-06-1916, quinta-feira, à 1 hora e 15 minutos da madrugada, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais. Sem mais notícias.71

Fontes:
1 – Informações colhidas pelo autor no Estado de Minas Gerais, junto a alguns netos paternos do patriarca Joaquim Antônio Teixeira de Castro.
2 – Presidência da República, Casa Civil, Arquivo Nacional, Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, Brasil: coleção n.º 415, volume n.º 1, folhas 200 a 201 verso: “Lista dos passageiros que da Cidade do Porto conduz para a Cidade do Rio de Janeiro, a galera portuguesa Lusitano – capitão Antônio Ferreira Nunes.”
3 – Presidência da República, Casa Civil, Arquivo Nacional, Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, Brasil: volume 8 do códice 381, folhas 186 verso, do fundo Polícia da Corte – Certidão de Joaquim Teixeira, datada de 08 de março de 1837. "Em cumprimento ao despacho exarado no requerimento de Luiz Fernando Hisse de Castro, autuado sob o número 211, em 24 de maio de 2004, no qual solicita certidão de Joaquim Teixeira, registrada à folhas 186 verso, do códice 381, volume 8, do fundo Polícia da Corte, Certifico que, revendo o referido documento arquivado nesta Coordenação, deles consta o seguinte: 'Joaquim Teixeira natural de Galicia idade de 18 anos solteiro sem arrumação mora por ora na Lapa do Desterro n.º 19 em hua Padaria vindo de Lisboa digo do Porto na Galera Luzitano entrado em Fevereiro 1837 apresentou Passaporte. Joaquim Teixeira'. Na margem direita consta: 'Estatura ordinaria trigueiro cabelos castanhos olhos pardos naris e boca regular s. b. r. e.' Em tempo: a palavra digo consta no original. E para constar onde convier, eu, Maria da Gloria Francisco dos Santos, técnico de arquivo – NI–BVI, passei a presente certidão que assino. Maria da Gloria Francisco dos Santos. E eu, Fátima Maria Fontoura da Silva, especialista de nível médio – NI–BVI, a conferi e assino. Fatima Maria Fontoura da Silva. Rio de Janeiro, 24 de junho de 2004. Sandra Silva Pinto, substituta eventual do coordenador da Coordenação de Documentos Escritos do Arquivo Nacional."
4 – Arquivo da Paróquia Madre de Deus, Praça da Matriz, Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Diocese de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livro de Casamentos n.º 1-A, folhas 33 verso: casamento de Mariano Carvalho da Costa com Maria Joaquina de Castro, celebrado em 27-11-1872.
5 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Recreio. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Recreio, Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil – Cartório Francisco de Almeida. Livro de Óbitos n.º 08-C, folhas 121 verso, termo 63: óbito de Maria Joaquina de Castro ocorrido em 22-11-1941, aos 100 anos de idade (sic).
6 – Arquivo da Paróquia de Jesus Menino Deus de Recreio, Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livro de Casamentos nº 1, folhas 81 e verso, da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição da Boa Vista: casamento de João Zeferino de Azevedo Castro com Leopoldina Telles de Freitas celebrado em 21-07-1885.
7 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Recreio. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Recreio, Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil – Cartório Francisco de Almeida. Livro de Óbitos n.º 07-C, folhas 70 verso, termo 254: óbito de João Zeferino de Azevedo Castro ocorrido em 22-05-1935, aos 91 anos de idade.
8 – CASTRO, Celso Falabella de Figueiredo – "Os Sertões de Leste – Achegas para a história da Zona da Mata", Segunda Edição Revista e Ampliada, 199 páginas, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, 2001. Vide capítulo XI, página 68.
9 – Arquivo do Segundo Cartório de Notas da Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil. Inventário de Carolina Augusta de Siqueira Castro falecida no dia 14 de novembro de 1880 – maço n.º 9. Lavrado no período compreendido entre 22 de março de 1881 e 04 de novembro de 1882, tendo como inventariante: o viúvo Joaquim Antônio Teixeira de Castro. E que foram citados como Herdeiros: o viúvo Joaquim Antônio Teixeira de Castro; e os filhos com seus respectivos cônjuges: Antônio Augusto Teixeira de Castro e sua mulher Martiniana Maria de Jesus; Maria Luiza de Castro Brum e seu marido Antônio Olímpio do Canto Brum; José Teixeira de Castro; Joaquim Antônio Teixeira de Castro; e Luiz Augusto Teixeira de Castro.
10 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Angustura. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas – Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livro de Óbitos n.º 2-C, folhas 92 verso, termo 23: óbito de Joaquim Antônio Teixeira de Castro ocorrido em 31-01-1893, em São Luiz, localidade esta, que a partir de 01-01-1944, teve o nome mudado para Trimonte, Distrito pertencente hoje ao Município de Volta Grande e Comarca de Além Paraíba.
11 – Internet, web – Região Autónoma Açores, Presidência Governo, Direcção Regional Cultura – Registos Paroquiais – Batismos de São Miguel / Ponta Delgada / Arrifes – Identificador SMG-PD-ARRIFES-B-1838-1842 – Vide livro de batismos n.º 2 de Arrifes, Ponta Delgada, ilha de São Miguel, Açores – Período: 04-02-1838 a 19-05-1842 – Imagem: 069 de 193 – Batismo de Mariano Carvalho da Costa, igreja de Nossa Senhora da Saúde, Arrifes, Ponta Delgada, ilha de Santa Maria, Açores, Portugal. Assento de batismo de Mariano Carvalho da Costa: Marianno filho legitimo de Manoel Carvalho, e de Luiza Jacintha naturaes da Parochial de Saõ Joze da cidade neto paterno d'Antonio Carvalho, e de Francisca dos Anjos, e materno de Joze da Costa, e de Teresa de Jesus, nasceo em vinte e nove de Septembro de mil oito centos trinta e nove, e foi baptizado em seis d'Outubro do dito anno, nesta Parochia de Nossa Senhora da Saude do lugar dos Arrifes por mim Gervasio Joze Tavares, cura nesta Parochia; foraõ padrinhos Manoel da Costa, e Francisca de Jesus filhos dos Avós maternos, e testemunhas Joze Francisco Lopes, e Joze Rapozo sacristaõ, casados todos deste lugar dos Arrifes, e para constar fis, e assignei este termo. O Cura Gervasio Joze Tavares. De Joze + Rapozo. Joze Francisco Lopes.
12 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Recreio. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Recreio, Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil – Cartório Francisco de Almeida. Livro de Óbitos n.º 03-C, folhas 136, termo 60: óbito de Mariano Carvalho da Costa ocorrido no dia 07-09-1909, aos 69 anos, 11 meses e 9 dias de idade.
14 – Informações fornecidas no ano de 1995, pela senhora Maria da Conceição Siqueira Castro, viúva de José Vasques de Castro, residente em Volta Grande, Minas Gerais.
15 – MACHADO, Attila Augusto Cruz, – "Os Côrtes – Descendência de Antônio Gonçalves Côrtes e Ana Gonçalves Rodrigues" – 376 páginas – Rio de Janeiro (RJ), Brasil – 2006. Vide a ascendência até então inédita desta família Côrtes fixada em Minas Gerais, Brasil; e de seus descendentes.
16 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-324969-35?cc=2177275&wc=M9WT-7RG : accessed 24 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Matrimônios 1795, Dez-1812, Nov > image 72 of 135; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Eis os dados do assento do matrimônio de Manuel Antunes de Sequeira com Ana Maria Joaquina de Santa Rosa: Manoel Antunes de Sequeira – E Anna Maria Joaquina Curral Velho Aos cinco de Novembro de mil oitocentos, e quatro annos despois de feitas as denunciaçaens na forma do Sagrado Consilio Tridentino, e Constituiçoens deste Bispado sem se descobrir impedimento algum, e com Provizaõ do Reverendo Doutor Vigario da Vara desta Comarca na Ermida da Senhora das Dores do Curral Velho felial desta Matris o Padre Antonio Gonçalves Correa de licença minha aSestio ao Sacramento do Matrimonio dos Contraentes o Alferes Manoel Antunes de Sequeira filho legitimo do Capitam Francisco Antunes de Sequeira, e de Dona Theodozia Dias natural da freguezia da Villa de Quelus = E Anna Maria Joaquina de Santa Roza filha legitima de Manoel Francisco Roza, e de Dona Maria do Rozario natural desta freguezia; e lhes deo as bençaons nupceaes na forma do Ritual Romano do que foraõ testemunhas Manoel Moreira de Faria, Antonio Antunes de Sequeira, de que mandei fazer este acento que aSignei. O Vigario Dom Agostinho Pitta de Castro.
17 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-321697-12?cc=2177275&wc=M5FL-PT5:369591901,369591902,370096801 : accessed 11 December 2014), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1803, Jan-1811, Fev > image 54 of 222; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Folhas 49=50 do livro de Batizados número 8. Assento de batismo de batismo de Francisco Antunes de Sequeira: Francisco Boa Vista Aos doze de Julho de mil oitocentos, e oito anos na Capela de Santa Anna da Boa vista filial desta Matriz de Barbacena o Padre Jozé Dias de Carvalho de licença minha batizou, e pos os Santos Oleos a – Francisco inocente filho legitimo de Manoel Antunes de Sequeira, e de Anna Maria de Santa Roza, foraõ Padrinhos Guilherme Francisco Roza, e Maria Eufrazia todos desta freguezia de que mandei fazer este acento. O Vigario Dom Agostinho Pitta de Castro.
18 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-309060-39?cc=2177275&wc=M5FL-6TL:369859001,369593702,370069801 : accessed 9 December 2014), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Prados > Nossa Senhora da Conceição > Batismos 1798, Abr-1817, Ago > image 170 of 272; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Assento de batismo de Francisca Carolina Gonçalves Côrtes: Ermida do Bandeira Francisca Aos quinze de Junho de mil oitocentos e dez na Ermida do Bandeira freguezia da Vila de Barbacena o Reverendo Antonio Rodrigues Lobato de licença minha baptizou e pos os Santos oleos a Francisca inocente filha legitima do Alferes Francisco Gonsalves Couto e Dona Anna Zeferina Côrtes desta freguezia de Prados meos parochianos foraõ padrinhos o Reverendo Manoel Gonsalves Couto e Dona Maria Angelica sua maĩ moradores na freguezia de Itaverava e para constar mandei fazer este assento que assignei. O Vigario Jozé Gonçalves Torres.
19 – ALMEIDA, Joaquim Rodrigues de – "Quincas Almeida – "Livro do Acervo da Biblioteca Antônio Perdigão" – Museu e Arquivo da Cidade de Conselheiro Lafaiete, Minas Gerais, Brasil – Direção de Célio Brás de Sousa Fari – Doação de Walter Andrade de Souza, em 11 de março de 1988. Citações.
20 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-321517-31?cc=2177275&wc=M97B-WVW : accessed 25 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1798, Jun-1809, Jul > image 250 of 288; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Assento de batismo de Manuel Antunes de Sequeira: ManoelBoa Vista Aos quatro de Mayo de mil oitocentos, e seis anos na Capela de Santa Anna da Boa vista filial desta Matris de Barbacena o Padre Antonio Gonçalves Correa de licença minha batizou, e pos os Santos Oleos a – Manoel inocente filho legitimo de Manoel Antunes de Sequeira, e de Anna Joaquina de Santa Roza: foraõ Padrinhos Costodio Antunes de Sequeira e Dona Maria do Rozario viuva, e Avó nasceu a 22 de Abril de que mandei fazer este acento. O Vigario Dom Agostinho Pitta de Castro.
21 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-321773-17?cc=2177275&wc=M5FL-PT5:369591901,369591902,370096801 : accessed 25 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1803, Jan-1811, Fev > image 8 of 222; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais].
Assento do batismo de Maria Carolina do Rosário: Maria Boa vista Aos dois de Abril de mil oitocentos, e sete anos na Capela de Santa Anna da Boa vista filial desta Matriz de Barbacena o Padre Antonio Gonçalves Correa, de licença minha batizou, e pos os Santos Oleos a – Maria inocente filha legitima de Manoel Antunes de Sequeira, e de Anna Maria Joaquina: foraõ Padrinhos Antonio Antunes de Sequeira, e Eufrazia Maria Francisca Tios da batizada de que mandei fazer este acento. O Vigario Dom Agostinho Pitta de Castro.
22 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-321741-35?cc=2177275&wc=M5FL-PT5:369591901,369591902,370096801 : accessed 25 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1803, Jan-1811, Fev > image 100 of 222; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Assento de batismo de Ana Antunes de Sequeira Anna Matris Aos vinte oito de Setembro de mil oitocentos, e nove anos nesta Matriz de Barbacena batizei, e pus os Santos Oleos a – Anna inocente filha legitima de Manoel Antunes de Sequeira, e de Anna Maria de Santa Roza: foraõ Padrinhos Manoel Moreira de Souza cazado, e Theodozia Dias Pereira viuva ambos da freguezia de Quelus nasceu a sete de Setembro do que mandei fazer este acento. O Vigario Jozé Joaquim Ferreira Armond.
23 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-321975-17?cc=2177275&wc=M5FL-PT5:369591901,369591902,370096801 : accessed 16 December 2014), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1803, Jan-1811, Fev > image 214 of 222; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Assento de batismo de Eufrásia Felismina: Eufrazia Boa vista Aos doze de Maio de mil oitocentos, e onze anos na Capela de Santa Anna da Boa vista filial desta Matriz de Barbacena o Padre Antonio de Campos Maciel de licença minha batizou, e pos os Santos Oleos a – Eufrazia inocente filha legitima de Manoel Antunes de Sequeira, e de Anna Maria: foraõ Padrinhos Antonio do Reis Silva, e sua mulher Dona Maria Clara da freguezia de Saõ Joaõ de que mandei fazer este acento. O Vigario Jozé Joaquim Ferreira Armond.
24 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-321975-17?cc=2177275&wc=M5FL-PT5:369591901,369591902,370096801 : accessed 16 December 2014), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1803, Jan-1811, Fev > image 214 of 222; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Assento de batismo de Custódio José Antunes de Sequeira: Costodio Boa vista Aos vinte oito de Fevereiro de mil oitocentos, e treze anos na Capela de Santa Anna da Boa vista filial desta Matriz de Barbacena o Padre Antonio de Campos Maciel de licença minha batizou, e pos os Santos Oleos a – Costodio inocente filho legitimo de Manoel Antunes de Sequeira, e de Anna Maria: foraõ Padrinhos Costodio Antunes de Sequeira, e Dona Maria do Rozario, viuva. O Vigario Jozé Joaquim Ferreira Armond.
25 – SILVA, Artur Vieira de Rezende e (02-06-1868—16-10-1945) – "Genealogia Mineira", em 4 Volumes totalizando 1748 páginas (Volume 1, com 274 – Volume 2, com 328 – Volume 3, com 810 – Volume 4, com 336), Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil, 1937 a 1939. Citações:
Antônio dos Reis e Silva:
Volume 3: Página 14.
Gervásio Pereira de Rezende Alvim:
Volume 3: Páginas 332, 333, 334 e 335, Capítulo II; Página 336, §1º; Página 378, 8; Página 389, 9;
Volume 4: Página 216, §11º,1.
26 – Internet, web – Projeto Compartilhar – sob coordenação de Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira. Citação.
Testamento e Inventário do capitão-mor Gervásio Pereira de Alvim.
Arquivado no Museu Regional de São João del-Rei, Estado de Minas Gerais.
Ano: 1837 – Caixa: 11-03.
Inventariante: Francisca Cândida de Resende.
Localidade: Vila de São José (atual Tiradentes).
Baseado em transcrição feita por Edriana Aparecida Nolasco a pedido do Doutor Aristóteles Rodrigues, residente em Juiz de Fora, Minas Gerais.
27 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-279743-56?cc=2177275&wc=M9WT-ZNS:2065263810 : accessed 26 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Prados > Nossa Senhora da Conceição > Matrimônios 1779, Maio-1822, Jan > image 154 of 249; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Assento do matrimônio de Francisco Gonçalves Couto com Ana Zeferina Côrtes: Bandeira Francisco Gonçalves Coito e Anna Zeferina Côrtes. Aos des de Maio de mil oito centos e oito, na Ermida do Bandeira, Freguezia da Villa de Barbacena, feitas as denunciaçoens na forma do Sagrado Concilio Tridentino, e Constituiçaõ, e precedendo provizaõ de habilitaçaõ do Muito Reverendo Doutor Marcos Antonio Monteiro, Vigario da Vara desta Comarca, de Licença minha, na prezença do Reverendo Manoel Gonçalves Coutto, e das testemunhas, que se achavaõ prezentes o Capitaõ Joze Pereira Alvim, Joaquim Rodrigues Valle, e outras mais, se cazaraõ por palavras de prezente, et in facie Eclesiæ Francisco Gonçalves Coito, filho legitimo do Guarda mor Manoel Gonçalves Coito, e Dona Marianna Angelica Gonçalves, natural, e baptizado na Capella da Espera, da Freguezia da Itaverava, donde he morador, com Anna Zeferina Côrtes, filha legitima de Antonio Gonçalves Côrtes, e Anna Gonçalves Rodrigues, natural, e baptizada nesta Freguezia de Prados, donde he moradora; e logo lhes deo as bençoens nupciaes na forma do Ritual Romano: e para constar mandei fazer este assento, que assignei era ut Supra. O Vigario Joze Gonçalves Torres
28 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-324578-10?cc=2177275&wc=M5FL-YWT:369591901,369591902,370383801 : accessed 10 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Óbitos 1750, Set-1768, Abr > image 131 of 186; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Francisca Pereira da Silva Matris Aos dez dias do mez de Setembro de mil e Sete Centos e Sessenta e Sinco annos faleceu da vida prezente de morte repentina e por isso sem Sacramentos Francisca Pereira da Silva mulher de Jacó Dias de Carvalho foi por mim emcomendada e acompanhada e demais Sacerdotes que todos lhe disseraõ Missa de Corpo prezente, e das Irmandades do Santissimo e Almas conduzida na Sua Tumba, amortalhada no Abito de Saõ Francisco e sepultada dentro desta Matris de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, e se lhe fez officio de Corpo prezente de sete Padres; de que fiz este aSento. O Vigario Feliciano Pitta de Castro.
29 – SIGAUD, José Côrtes e CÔRTES, Agostinho Teixeira – "Entrelaçamento Genealógico das Famílias Teixeira, Figueiredo e Côrtes" – São Paulo – SP, Brasil, 1968.
30 – ASSIS, João Paulo Ferreira de – "Revista Pólis 30", Rua Coronel Belisário Moreira 86, CEP 36270-000 – Ressaquinha, Estado de Minas Gerais, Brasil. Citações:
Agostinho José Frederico de Castro:
Número 37, fevereiro de 2002, páginas 19 e 20.
Andreza Dias de Carvalho:
Número 6, mês de julho de 1999, página 6;
Número 20, setembro de 2000, página 13;
Número 35, dezembro de 2001, página 24.
Antônio Francisco de Oliveira:
Número 41, junho de 2002, página 20.
Bárbara Correia:
Número 41, junho de 2002, página 20.
Bernarda de Castro:
Número 37, fevereiro de 2002: página 20.
Domingos dos Reis e Silva:
Número 20, setembro de 2000, página 13;
Número 35, dezembro de 2001, página 24.
Francisco Antunes de Sequeira, filho de Francisco Antunes e Isabel de Cerqueira:
Número 26, março de 2001, página 4;
Número 40, maio de 2002, páginas 13 e 27;
Número 41, junho de 2002, página 1.
Helena Josefa Correia da Gama:
Número 41, junho de 2002, página 20.
Inácia Quitéria de Almeida e Gama:
Número 41, junho de 2002, página 20.
Joana Batista do Vale:
Número 37, fevereiro de 2002, páginas 19 e 20.
João Maquieira:
Número 36, janeiro de 2002: páginas 18 e 19;
Número 37, fevereiro de 2002: página 19.
Lourenzo Maquieira:
Número 37, fevereiro de 2002: página 20.
Luiz de Almeida Ramos – capitão:
Número 41, junho de 2002, página 20.
Manuel de Paiva Muniz:
Número 41, junho de 2002, página 20.
Manuel Gomes Villas Boas – capitão:
Número 41, junho de 2002, página 20.
Manuel João Muniz:
Número 41, junho de 2002, página 20.
Maria de Paiva:
Número 41, junho de 2002, página 20.
Maria Inácia Ferreira:
Número 36, janeiro de 2002: páginas 18 e 19;
Número 37, fevereiro de 2002: página 19.
Maria Ramos da Costa:
Número 41, junho de 2002, página 20.
Teodósia Dias Pereira:
Número 21, outubro de 2000, páginas 19;
Número 40, maio de 2002, página 13;
Número 41, junho de 2002, páginas 1 e 2.
31 – LEME, Luís Gonzaga Silva (03-08-1852–13-01-1919) – "Genealogia Paulistana", em 9 volumes, Duprat & Cia, ano de 1904, São Paulo (SP), Brasil. Vide volume V, título Toledos Pizas: no capítulo 1º, §1º, 2-1, página 448; e no capítulo 3º, § 1º, 4-2, página 518.
32 – SILVA, Artur Vieira de Resende e (02-06-1868—16-10-1945) – "Genealogia Mineira", 4 volumes, Imprensa Oficial de Minas Gerais, Belo Horizonte, anos 1937 e 1939. Citações:
Ana Francisca de Ávila e Silva: volume II, 26, 57, e 59; III, 257 (1);
Antônio Agostinho Lobo Leite Pereira: volume II, 221 (capítulo V); III, 257 (1);
Diogo Garcia: volume III, página 224, título I, capítulo IX, §10.
Estêvão Ribeiro: volume III, 13, Título I.
Helena Maria: volume III: 11 a 12; 753 a 758, 764 a 768, 770 a 772, 775 a 779, 782, Documentos; volume IV: 216, §11º, 1.
João de Rezende Costa: volume III: 11 a 12; 753 a 758, 764 a 768, 770 a 772, 775 a 779, 782, 784, Documentos; volume IV: 216, §11º, 1.
Josefa Maria de Rezende: volume III, 12, 13 a 16 (título I), 115 (8,1), 754, 763, 766, 771, 777, 779 (Documentos).
Júlia Maria da Caridade: volume III, 11, 756, Documentos;
Leonarda Maria de Souza: volume III, 13, Título I.
Manuel Gonçalves Couto: volume II, 101 (capítulo II), 107 (9), 126 (capítulo V);
Maria Angélica Gonçalves: volume II, 101 (capítulo II).
Severino Ribeiro (coronel): volume III, 13 (título I), 115 (8,1), 761, 772, 774, 780, 784 (Documentos).
33 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-266-12315-1825-64?cc=2177275&wc=M5N3-PTT:369591901,369591902,369900801 : accessed 29 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Matrimônios 1752, Out-1781, Fev > image 64 of 238; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais].
Francisco com Theodozia dias Pereira. Aos oito dias do mez de Fevereiro de mil settecentos e sessenta e dois annos na Ermida ou oratorio de Nossa Senhora do Rozario em casa de Jacó dias filial desta matris de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo pellas onze oras da manhã feitas as denunciaçoens na forma do Sacro Concilio Tridentino, e Constituiçaõ, sem se descobrir Impedimento algum e com Provizaõ do Reverendo Doutor Theodoro Ferreira Jacome vigario geral deste Bispado na prezença do Reverendo Padre Manoel Ferreira Coelho com licença minha se cazaraõ em face da Igreja palavra de prezente Francisco Antunes de Cerqueira natural da freguezia de Nossa Senhora da Asunçaõ de Boim da nobre Arcebispado de Braga filho legitimo de Francisco Antunes, e de Izabel de Cerqueira, com Theodozia dias Pereira natural e batizada nesta freguezia filha legitima de Jacó Dias de Carvalho e de Francisca Pereira serviraõ de testemunhas Manoel Lourenço Barros e Joze de Crasto Pinto que aSignaraõ ao pé da Certidaõ que nas costas da Provizaõ passou o Reverendo Padre que assistio ao Sacramento o qual lhe deo as bençoens na forma do Ritual Romano de que fiz este aSento. O vigario Feliciano Pitta de Castro.
34 – ASSIS, João Paulo Ferreira de – "Revista Pólis 30", Rua Coronel Belisário Moreira 86, CEP 36270-000 – Ressaquinha, Estado de Minas Gerais, Brasil. Citações:
Ana Francisca da Fontoura:
Número 44, setembro de 2002, página 24.
Ana Francisca Garcia:
Número 41, junho de 2002, páginas 26 e 27;
Ana Gonçalves Rodrigues:
Número 41, junho de 2002, página 27.
Ana Pereira Maciel:
Número 41, junho de 2002, páginas 26 e 27.
Catarina Correia de Lemos:
Número 41, junho de 2002, página 3.
Catarina de Sousa Lima:
Número 44, setembro de 2002, página 24.
Cristóvão Garcia:
Número 44, setembro de 2002, página 24.
Diogo Arias de Aguirre:
Número 41, junho de 2002, página 3.
Domingos Gonçalves Fontoura:
Número 20, setembro de 2000, página 13.
Francisca Pereira:
Número 41, junho de 2002, página 3.
Francisca Pereira da Silva:
Número 20, setembro de 2000, página 13.
Isabel Ribeira:
Número 41, junho de 2002, páginas 23, 27 e 29;
Número 44, setembro de 2002, página 27.
Isabel Ribeiro Lima:
Número 41, junho de 2002, páginas 26 e 27;
Número 44, setembro de 2002, página 24.
João Dias Soldado:
Número 41, junho de 2002, páginas 2 e 3.
João Pereira Temudo:
Número 44, setembro de 2002, página 24.
Joana de Aguirre:
Número 5, junho de 1999, páginas 7, 8 e 9;
Número 41, junho de 2002, páginas 2, 3 e 4.
João Machado Pestana:
Número 41, junho de 2002, páginas 26 e 27.
João Rodrigues Vale:
Número 41, junho de 2002, páginas 23, 27 e 29;
Número 44, setembro de 2002, página 27.
José Teixeira de Oliveira:
Número 5, junho de 1999, páginas 9;
Número 14, março de 2000, página 39.
Lourenço Garcia Fontoura:
Número 41, junho de 2002, páginas 26 e 27;
Número 44, setembro de 2002, página 24.
Luiz Rodrigues da Silva:
Número 41, junho de 2002, página 3.
Madalena Pires:
Número 41, junho de 2002, páginas 2 e 3.
Manuel Machado Pestana:
Número 41, junho de 2002, páginas 26 e 27.
Manuel Pereira da Silva:
Número 5, junho de 1999, matriz, 1v, 1-A.
Número 5, junho de 1999, páginas 7, 8 e 9;
Número 17, mês de junho de 2000, página 17;
Número 41, junho de 2002, páginas 2, 3 e 4.
Teresa Tavares:
Número 5, matriz, 1v, 1-A;
Número 5, junho de 1999, página 9;
Número 14, março de 2000, página 39;
Número 17, junho de 2000, página 17.
35 – ALBUQUERQUE, Pedro Wilson Carrano – "Encontro com os Ancestrais", 930 páginas, Brasília, Distrito Federal, 1999. Vide citações no Capítulo XXXIV – Árvore de Costado de Nicácio da Costa Matos. Vide páginas 513 a 541.
36 – MACHADO, Attila Augusto Cruz, – "Os Côrtes – Descendência de Antônio Gonçalves Côrtes e Ana Gonçalves Rodrigues" – Rio de Janeiro (RJ) – 2006. Citação: página 326 – Capítulo 38, 1 (IV). Igreja de São José, de Além Paraíba (MG): Livro de Batizados n.º 2, folhas 13. Nascido em 05-10-1857 e batizado em 20-10-1857.
37 – Livros da Paróquia de São Sebastião, arquivados na Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, Diocese de Leopoldina, situado à Praça do Rosário, n.º 110 – Comarca de Leopoldina, Minas Gerais, Brasil, CEP 36700-000 – Livro de casamentos n.º 1, páginas 33 e verso, termo 89. Certidão do casamento de Antonio Augusto Teixeira de Castro com Martiniana Maria de Jesus: Certifico que, revendo os Livros de Assentamento de Casamento desta Paróquia, encontrei o seguinte termo, que transcrevo: "Aos Dez de Abril de 1880 (mil oitocentos e oitenta) perante o Reverendíssimo Padre José Francisco dos Santos Durães e as testemunhas, Tenente Lauriano Celestino Ferreira e Julio da Silva Bizarro, receberam-se em matrimônio Antonio Augusto Teixeira de Castro e Martiniana Maria de Jesus; ele, filho de Joaquim Antonio Teixeira de Castro e Carolina Augusto de Siqueira; ela, filha de José Coelho Lourenço e Mathildes Maria de Jesus. O Pároco José Francisco dos Santos Durães." Nada mais havendo a certificar, assino em sinal da verdade. Leopoldina, 31 de dezembro de 1996. Creusa F. Roun – Secretária.
38 – Cartório de Registro Civil e Notas de Volta Grande. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Volta Grande, Minas Gerais. Livro de óbitos n.º 1, da extinta serventia de Registro Civil e Notas do Distrito de Trimonte, folhas 177, termo n.º 14. Registro feito a 07-09-1913. Certifico que revendo o Livro 01, folhas. 177, Termo n.º 14, de Vila Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais, consta o seguinte Registro de Óbito: Aos sete dias do mez de setembro de mil novecentos e treze, neste Districto de São Luiz, municipio de São José de Além Parahyba, Estado de Minas, em meu Cartorio foi exhibido um attestado assignado por José Bernardino Loyolla e José Melgaço dos Santos, rezidente neste districto, declarando que hontem ás 9 horas do dia no Sitio denominado Recanto neste Districto, fallecera o cidadão Antonio Olympio do Canto Brum, cazado com D. Maria de Castro Brum, elle com 66 annos de idade, brasileiro, natural da Baia, filho legitimo do Dr. Antonio do Canto Brum, e D. Maria Alves Branco do Canto Brum, fallecido, teve assistencia medica, não podendo entretanto obter attestado de medico por rezidir distante da localidade entretanto afirmam ter tido infermidade grave. – E por nada mais me ser declarado lavro este termo. Eu João José Corrêa, Escrivão”. Era o que continha o referido Registro de Óbito do Districto de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais, que bem e fielmente extraí a presente certidão. Eu, Marcelo Guedes de Aguiar, Escrivão, a digitei e assino. O referido é verdade e dou fé. Volta Grande, 05 de janeiro de 2005. Marcelo Guedes Aguiar"
39 – "Brasil, Rio de Janeiro, Registros da Igreja Católica, 1616-1980," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-14183-45498-0?cc=1719212&wc=M6ZT-429:131775101,139024701,141500101 : accessed 7 April 2015), Brasil, Rio de Janeiro, Registros da Igreja Católica, 1616-1980 > Brasil, Rio de Janeiro, Registros da Igreja Católica, 1616-1980 > Rio de Janeiro > Santíssimo Sacramento > Matrimônios 1835, Maio-1842, Ago > image 141 of 201; paróquias Católicas ,Rio di Janeiro (Catholic Church parishes, Rio di Janeiro). Doutor Antonio do Canto Brum com Dona Maria Joanna Alves Branco Aos vinte cinco dias do mez de Septembro de mil oito centos e quarenta em Oratorio erecto na Caza de rezidencia do Conselheiro Manoel Alves Branco por Provizaõ de Sua Excellencia Reverendissima, em prezença do Muito Reverendo Delfino Antonio de Moraes Silva de licença minha, e prezentes as Testemunhas abaixo declaradas, prestados perante o mesmo os depoimentos verbaes, e naõ apparecendo impedimento algum, se recebeu em matrimonio por palavras de prezente na forma do Sagrado Concilio Tridentino e Constituiçaõ, Antonio do Canto Brum, filho legitimo de Bernardo Ferreira Reguengo, e de Dona Isabel Felicianna Brum, natural da Provincia da Bahia, com Dona Maria Joanna Alves Branco, filha legitima do Senador Manoel Alves Branco, e de Dona Joanna Carneiro Alves Branco, natural da sobredita Provincia, e moradores nesta Freguezia do Sacramento, sendo primeiro dispensados dos Proclamas, e do quarto gráo de consanguinidade em linha collateral, como tudo constou da citada Provizaõ, e da Certidaõ do mesmo Reverendo Delfino Antonio de Moraes: e receberaõ do mesmo as Bençoens Nupciaes na forma do Ritual Romano, sendo Testemunhas o Conselheiro Carlos Carneiro de Campos, e Manoel Alves Branco: de que fiz este assento, que assignei: O Conego Cura Jozé Luiz de Freitas.
40 – Almanaque Laemmert – Ano de 1853, página 87. Em 1852, era Juiz no "Juizo dos Feitos da Fazenda Nacional da Primeira Instância", situado à Rua dos Ciganos n.º 49 – Rio de Janeiro, Brasil.
41 – Arquivo da Paróquia Madre de Deus, Praça da Matriz, Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Diocese de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livro de Registros de Óbito. Falecimento de Maria Joana Alves Brum: "27/2/1887 faleceu de lesão cardíaca, pelas 9 horas da noite no sítio Limoeiro, em São Luiz, Maria Joanna Alves Brum, viúva do Dr. Antonio do Canto Brum, com 62 anos, pensionista do estado, natural da cidade da Bahia, filha legitima do primeiro visconde de Caravellas, já falecidos. Sepultada em Angustura.”
Nota do autor: Ela era filha do segundo visconde de Caravelas – Manuel Alves Branco e não do primeiro, como esclarece o registro do seu casamento celebrado no dia 25-09-1840, cuja transcrição integral encontra-se no item de número 39, acima citado. Já, o primeiro visconde de Caravelas, que foi citado por engano neste assento, embora fosse parente, era solteiro. Existiram dois viscondes de Caravelas e apenas uma viscondessa.
42 – BUENO, Antônio Henrique Cunha e BARATA, Carlos de Almeida – CD do "Dicionário das Famílias Brasileiras" – 1ª Edição dos referidos autores, Rio de Janeiro, Brasil, ano de 1999. Família Carneiro de Campos. Citando como fonte a Horácio Rodrigues da Costa – Genealogia dos Carneiro de Campos.
43 – Revista da ASBRAP – Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia, São Paulo (SP), Brasil. Número 6, ano de 1999, página 133. Citação: Joana Carlota Carneiro de Campos.
44 – Contribuidor: Região Autônoma Açores, Presidência Governo, Direcção Regional Cultura. Título: Registos Paroquiais. Assunto: Genealogia. Descrição: Baptismos. Identificador: SMG-LG-AGUADEPAU-B-1692-1700. Fonte: BPAR, ANGRA DO HEROÍSMO. Data: 1692. Cobertura temporal: 1692-1700. Freguesia de Água-do-Pau, Baptismos 1692-1700 > 0040. Igreja de Nossa Senhora dos Anjos. Livro: 2. Página: 37 verso. Assento: 217. Lagoa, ilha de São Miguel, Açores.
[Assento de Batismo de Tomás de Arruda Pimentel] 217 Thomas Em os seis dias do mês de Março de mil e seis centos e noventa e seis annos bautizou sub conditione (de Licentia Parochi) o Reverendo Padre Manoel vigario desta Igreja Francisco de Souza Mota a Thomas filho de Manoel de Arruda Pimentel e de Ignes de Oliveira sua mulher foi padrinho o Capitaõ Sargento mor Manoel de Medeiros Araujo todos moradores nesta villa de Agua de pao, e por verdade fis e aSinei. O Cura Manoel Pestanna Pimentel.
45 – Arquivo Nacional – Torre do Tombo – Portugal. TSO – Tribunal do Santo Ofício 1536/1821. Diligência de Habilitação de José Carneiro de Campos.
46 – Internet, web – Dados genealógicos pesquisados pelo Doutor Ricardo Costa de Oliveira e gentilmente divulgados e compartilhados em lista de genealogia.
47 – "Brasil, Bahia, Registros da Igreja Católica, 1598-2007," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-18570-3884-55?cc=2177272&wc=M7ZT-Z29:369568601,369568902,369895401 : accessed 19 April 2015), Brasil, Bahía, Registros da Igreja Católica, 1598-2007 > Brasil, Bahía, Registros da Igreja Católica, 1598-2007 > Santana > Sant'Ana > Matrimônios 1819, Jan-1873, Mar > image 24 of 273; Paróquias Católicas, Bahía (Catholic Church parishes, Bahía).
[Assento de Casamento do doutor Manuel Alves Branco com dona Joana Carlota Carneiro de Campos] 1824 O Doutor Manoel Alves Branco e Dona Joanna Carlota de Campos. Aos vinte, e cinco de Setembro de mil oito centos e vinte e quatro nesta matriz do Santissimo Sacramento e Santa Anna, sendo dispensados os banhos pelo Reverendissimo Vigario Capitular Felis Martins de Freitas como consta do Despacho que fica em meu poder, tendo prestado os Contrahentes o juramento de naõ terem impedimento algum, na minha prezença, e das testemunhas o Doutor Joaquim Anselmo Alvares Branco Munis Barretto, e Francisco Manoel da Cunha, cazados, moradores na Freguezia da Sé, se cazou solemnemente, por palavras de prezente o Doutor Manoel Alves Branco, com Dona Joanna Carlota de Campos, solteiros, naturaes desta Cidade, e moradores nesta Freguezia, elle filho legitimo de Joaõ Alvares Branco, e Dona Anna Joaquina, e ella filha legitima de Joaquim Carneiro de Campos, e Dona Maria Joaquina Carneiro. E logo lhes dei as bençaons nupciaes na forma do Ritual Romano. E para constar fiz este assento que assignei. O Vigario Manoel Coelho de SamPayo e Menezes.
48 – "Brasil, Bahía, Registros da Igreja Católica, 1598-2007," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-18570-4520-10?cc=2177272&wc=M7ZT-Z29:369568601,369568902,369895401 : accessed 17 April 2015), Brasil, Bahía, Registros da Igreja Católica, 1598-2007 > Brasil, Bahía, Registros da Igreja Católica, 1598-2007 > Santana > Sant'Ana > Matrimônios 1819, Jan-1873, Mar > image 12 of 273; Paróquias Católicas, Bahía (Catholic Church parishes, Bahía). [Assento de Casamento de João Alves Branco com dona Constança Maria Eugênia de Campos] Joaõ Alves Branco e Dona Constança Maria Eugenia de Campos. Aos vinte e nove de Julho de mil oitocentos e vinte e hum nesta Matriz do Santissimo Sacramento, e Santa Anna feitas as denunciaçoens nella, na Freguezia da Sé e na de Santo Antonio alem do Carmo, sendo dispensados os mais que eraõ necessarios, bem como do segundo grau de consanguinidade com que se achavaõ ligados tudo pelo Reverendissimo Deam Governador do Arcebispado Joze Fernandes da Silva Freire, como consta dos Despachos que ficaõ em meu poder, tudo na forma de direito, de tarde, na prezença do Reverendo Vigario Lourenço da Silva Magalhaens Cardozo, de licença minha, e das testemunhas o Desembargador Francisco Carneiro de Campos, cazado, morador na Freguezia de Saõ Pedro, e Joaõ Alves Branco, cazado, morador na Freguezia de Santo Antonio alem do Carmo, se cazou solemnemente por palavras de prezente Joaõ Alves Branco, solteiro, natural desta Cidade, e morador na Freguezia de Santo Antonio alem do Carmo, filho legitimo de Joaõ Alvares Branco e Dona Anna Joaquina de Saõ Silverio, com Dona Constança Maria Eugenia de Campos, solteira, natural desta Cidade, e moradora nesta Freguezia, filha legitima de Joaquim Carneiro de Campos, e Dona Maria Joaquina de Campos: e logo receberaõ as bençaons nupciaes na forma do Ritual Romano. E para constar fiz este assento que assignei. O Vigario Manoel Coelho Sampayo e Menezes.
50 – Informações gentilmente fornecidas ao autor pelos parentes pertencentes aos respectivos grupos familiares.
53 – Arquivo da Paróquia Madre de Deus, Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Diocese de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil. Conforme dados das certidões extraídos pela secretária arquivista:
Aos 16 de Agosto de 1862, na fazenda do Trimonte, batizei solenemente Jozé, nascido aos 10 de setembro de 1861. Filho legítimo de Joaquim Antonio Teixeira de Castro e de Carolina Augusta de Siqueira. Foram padrinhos: Antonio Manoel Domingues e Maria Roza de Siqueira. E, para constar, lavrou-se este assentamento. Padre Pedro José da Costa.
-----------------------------------
Aos 22 de Março de 1865, na fazenda do Trimonte, batizei solenemente ao inocente Francisco, nascido aos 18 de abril de 1863. Filho legítimo de Joaquim Antonio Teixeira de Castro e de Carolina Augusta de Siqueira. Foram padrinhos: Francisco Antunes de Siqueira e Eufrosina Amélia de Siqueira. E, para constar, lavrou-se este assentamento. O Pároco: Padre Henrique de Souza Borges Accioli.
-----------------------------------
Aos 22 de Março de 1865, na fazenda do Trimonte, batizei solenemente ao inocente Joaquim, nascido aos 18 de fevereiro de 1865. Filho legítimo de Joaquim Antonio Teixeira de Castro e de Carolina Augusta de Siqueira. Foram padrinhos: Antonio de Pina Loureiro e Claudina Amalia Rosa. E, para constar, lavrou-se este assentamento. O Pároco: Padre Henrique de Souza Borges Accioli.
-----------------------------------
Aos 13 de Junho de 1868, na fazenda do Trimonte, batizei solenemente ao inocente Luiz, nascido a primeiro de Junho de 1867. Filho legítimo de Joaquim Antonio Teixeira de Castro e de Carolina Augusta de Siqueira. Foram padrinhos: Luiz de Souza Brandão e Marceliana de Magalhães Brandão por procuração apresentada por Herculana Alexandrina Xavier de Mendonça. E, para constar, lavrou-se este assentamento. Padre José Manuel Esteves.
55 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Recreio. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Recreio, Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil – Cartório Francisco de Almeida.
56 – PEREIRA, Mauro de Almeida – "Os Almeidas, os Britos e os Netos em Leopoldina-MG" – 124 páginas, Imprensa Oficial de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil, 1966. Citações.
57 – Internet, web – Estudos sobre a história de Leopoldina – contendo diversas páginas da historiadora Nilza Cantoni – endereço: http://www.cantoni.pro.br/ e nas suas demais publicações.
69 – Arquivo da Paróquia Madre de Deus, Praça da Matriz, Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Diocese de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil.
70 – Arquivo da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, Laranjal, Diocese de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil.
71 – Cartório de Registro Civil e Notas de Volta Grande. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livros da extinta serventia de Registro Civil e Notas do Distrito de Trimonte.
75 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Água Viva. Ofício de registro civil e tabelionato de notas – Água Viva, Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais, Brasil.
79 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Angustura. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas – Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil.
81 – Cartório de Registro Civil das Pessoas Naturais de Leopoldina. Ofício do registro civil e tabelionato de notas – Leopoldina, Minas Gerais, Brasil.
83 – Referência: "Brasil, Rio de Janeiro, Registro Civil, 1829-2012," index and images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-266-11772-1582-97?cc=1582573&wc=M852-JWL:113331301,113331302,114344201 : accessed 01 Jul 2014), Brasil, Rio de Janeiro, Registro Civil, 1829-2012 > Brasil, Rio de Janeiro, Registro Civil, 1829-2012 > Rio Claro > Rio Claro > Nascimentos 1891, Jun-1894, Out > image 50 of 203.
[Assento do Nascimento de Débora Dulce de Loyola] Número 182 – Débora. Aos dezoito dias do mez de Abril de mil oito centos e noventa e dois neste districto de Paz da Parochia de São João Marcos, municipio de São João Marcos, Estado do Rio de Janeiro, compareceu em meu cartorio José Bernardes de Loyola Sobrinho, casado com Amalia Santos das Dores Loyola, morador nesta cidade declarou que sua mulher deu a luz dia dezecete do corrente a uma hora da manhã a uma criança de cor branca do sexo feminino, que chamaram ha Débora neta paterna de Manoel Bernardes de Loyola e Maria das Dores Loyola, e materna de Arceliano Rodrigues dos Santos e Maria José dos Santos. Do que para constar lavrei este termo pela nota que fica archivada assignando comigo o declarante e as testemunhas abaixo assignadas. Eu Pedro Joaquim da Silva Moniz escrivão interino que o escrevêu.
Pedro Joaquim da Silva Moniz José Bernardes de Loyola Sobrinho Amaro de Seixas Ribeiro Joaquim Bento Suares.
[Averbação:]
Débora, baptisada no dia quatorze de Novembro do corrente anno na matriz desta cidade pelo conego José Peres de Souza, forão padrinhos Modesto Bernardes de Loyola e Dona Carlota Clara de Souza Loyola digo Clara de Souza Pereira.
Cidade de São João Marcos, dezesete de Novembro de mil e oitocentos e noventa e dois. O Escrivão interino Pedro Moniz.
84 – Dados que me foram gentilmente fornecidos em 09-11-2007, pelo genealogista Luis Carlos de Araujo Simões, referentes ao batismo de Inácia Alexandrina Villas Boas pesquisados na Cúria Metropolitana do Rio de Janeiro: Livro de batismos n.º 6, Paróquia de Santa Rita, Rio de Janeiro, Brasil, período de 1824 a 1830, página 123, assento n.º 529.
86 – Internet, web – Projeto Compartilhar – sob coordenação de Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira. Citação.
87 – Livro "Tutelas e Curatelas" – publicação número 57 – 120 páginas – pelo então Ministério da Justiça e Negócios Interiores – Arquivo Nacional, diretor: Pedro Moniz de Aragão – apresentação de Carlos Grandmasson Rheingantz (1915—1988), Rio de Janeiro (RJ), Brasil, 1965. Citação em II, 101 (capítulo II), 102 (1).
88 – Internet, Web – Tombo, Arquivo Distrital do Porto, Portugal. Freguesia de Miragaia, Porto, Portugal. Livro de Casamentos M-7, referente ao período de 29-08-1744 a 20-11-1760, da igreja de São Pedro – folhas 189 verso a 190 – imagem: PT-ADPRT-PRQ-PPRT08-002-0008_m00326.tif – pesquisa e transcrição de Luiz Fernando Hisse de Castro: [Assento do Casamento de Antônio José de Távora de Figueiredo com Luiza Teresa de Jesus]
Antonio Joze de Tavora filho natural de Antonio Luis de Tavora, e de Costodia Fernandes do lugar do Fiolhal freguezia de Saõ Bras do Castinheiro Comarca da Torre de Moncorvo Archibispado de Braga se recebeo em minha prezença aos doze dias do mes de Fevereýro de mil, e sete centos, e quarenta, e sete com Luiza Thereza de Jezus filha legitima de Paullo Cardozo de Oliveýra, e de Antonia Coelha de Oliveýra assistente nesta freguezia de Saõ Pedro de Miragaýa donde a contrahente he natural e o contrahente morador com banhos corridos que ficaraõ no Cartorio de Joze Caetano escrivaõ do Ecleziastico; e sem impedimento: foraõ testemunhas as abaixo comigo assignadas desta freguezia e outras mais pessoas que se achavaõ prezentes. Passa na verdade é.
O Abbade Manoel da Cruz. Henrique Jozé de Oliveýra. Joseph de Almeida Pinto.
89 – Internet, Web – Tombo, Arquivo Distrital do Porto, Portugal. Freguesia de Miragaia, Porto, Portugal. Livro de Óbitos H-9, referente ao período de 22-02-1766 a 10-07-1791, da igreja de São Pedro – folhas 336 verso – imagem: PT-ADPRT-PRQ-PPRT08-003-0009_m00975.tif – pesquisa e transcrição de Luiz Fernando Hisse de Castro:
[Assento do óbito de Antônio José de Figueiredo]
Antonio Joze de Figueiredo cazado com Luiza Thereza assistente nos cobertos da porta Nova desta freguezia de Saõ Pedro de Miragaýa, faleceo da vida prezente com todos os Sacramentos necessarios aos quatorze de Junho de mil sete centos, e oitenta e sette annos de idade setenta pouco mais, ou menos, fez testamento em que deixa setenta mil reis de corpo prezente, delle dará conta sua mulher testamenteira, está sepultado de minha licença na Capella dos Terceiros de Saõ Francisco no Porto quinze de Junho de mil, e sete centos, e oitenta, e sette annos.
O Abbade Andre Teixeira da Rocha.
[Averbação]
E deve fazer vi Officios.
90 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-274701-22?cc=2177275&wc=MMPG-2QY : accessed 2 July 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1782, Fev-1788, Jan > image 105 of 150; Paróquias Católicas, Minas Gerais (Catholic Church parishes, Minas Gerais).
[Assento do Batismo de Maria, que teve o nome mudado para Luiza Teresa de Figueiredo, em homenagem à avó paterna Luiza Teresa de Jesus.]
Maria
Registo.
Aos dezoito dias do mez de Mayo de mil setecentos e oitenta e sete annos na Capela de Nossa Senhora do Pilar do registo velho filial desta matriz da Borda do Campo: o Padre Neutel Vas de Mello de licença minha baptizou solemnemente e pos os santos oleos a Maria filha legitima de Joze Antonio de Figueiredo, e de Dona Roza Joaquina da Costa natural aquelle da freguezia de Saõ Pedro de Miragaya Bispado do Porto, e esta natural desta freguezia: neta pela parte paterna de Antonio Joze de Figueiredo, e de Luiza Thereza de Figueiredo; e pela materna do Coronel Manoel Rodrigues da Costa, e Dona Joanna Thereza de Jezus. Foraõ padrinhos o Padre Manoel Rodrigues da Costa, e Dona Maria Jozefina da Costa todos desta freguezia: nasceu aos dois dias do dito mez de que fis este acento.
O Vigario Dom Agostinho Pitta de Castro.
91 – MATHIAS, Herculano Gomes – "Um Recenseamento na Capitania de Minas Gerais, Vila Rica – 1804", 210 páginas, Ministério da Justiça, Arquivo Nacional, Rio de Janeiro, Brasil, 1969. Vide página 113.
92 – Cartório de Registro Civil de Estrela Dalva. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas – Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais, Brasil.
106 – Cadastro Nacional de Falecidos – CNF, Brasil.
107 – "Brasil, Rio de Janeiro, Registro Civil, 1829-2012," index and images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-266-11771-169785-36?cc=1582573&wc=M85K-BMS:113331301,113331302,114085701 : accessed 01 Jul 2014), Brasil, Rio de Janeiro, Registro Civil, 1829-2012 > Brasil, Rio de Janeiro, Registro Civil, 1829-2012 > Rio Claro > Rio Claro > Nascimentos 1889, Jan-1891, Jun > image 164 of 203.
[Assento do Nascimento de Jocunda Amália de Loyola]
Número 492
Aos vinte e seis do mez de Outubro do anno de mil oito centos e noventa n'este districto de Paz da Parochia de São João Marcos, Municipio de São João do Principe, Estado do Rio de Janeiro, compareceu em meu cartorio José Bernardes de Loyola Sobrinho, rezidente n'esta cidade à rua Saldanha Marinho, casado com Dona Amalia Santo das Dores Loyola, e perante as testemunhas abaixo assignadas declarou que sua mulher deu à luz no dia vinte e trez do corrente mez à seis e meia horas da manhã a uma menina de côr branca que chamar-se-ha Jucunda netta paterna do Capitão Manoel Bernardes de Loyola já fallecido, e de Dona Maria da Dores Loyola, e materna de Arceliano Rodrigues dos Santos e de Maria José dos Santos. Do que para constar lavrei este termo em que comigo assignão, o declarante e as testemunhas abaixo assignadas. E eu José de Paula Assumpção escrivão ad hoc o escrevi,
José de Paula Assumpção
José Bernardes de Loyola Sobrinho
Manoel Aprigio de Loyola
Benedicta Gonçalves da Silva
[Averbação:]
Jucunda, baptisada hoje na matriz d'esta Cidade pelo Conego José Peres de Souza. Forão padrinhos Luiz José Pereira e Dona Maria das Dores Loyola. Cidade de São João Marcos, 31 de Dezembro de 1890
O Escrivão
Manoel Aprigio de Loyola
113 – GUIMARÃES, Cid – "Ribeiro do Valle" – Revista Número 4, ano de 1997. Publicado pela ASBRAP – Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia, São Paulo (SP), Brasil.
114 – GUIMARÃES, Doutor José (Cambuquira, Minas Gerais, 05-05-1909 – Ouro Fino, Minas Gerais, 01-07-1989) – "As Três Ilhoas" – Obra póstuma em 4 volumes: volume 1 com 500 páginas; volume 2 – parte 1 com 726 páginas; Volume 2 – parte 2 com 528 páginas; e volume 3 com 158 páginas; digitação e diagramação de José Fernando Honorato, Ouro Fino, Minas Gerais, Brasil; impressão: Reprox – Artes Gráficas – São Paulo (SP), Brasil, 1990. Citações.
116 – FONSECA, Doutor Dulcídio Monteiro da – "A Família Vilela", 155 páginas – Edição do Autor, Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais, Brasil, 1959. Citações.
117 – AMATO, Marta Maria – "A Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Carrancas e sua História" – 288 páginas, Edições Loyola, São Paulo (SP), Brasil, 1996. Citações.
120 – "Dicionário das Famílias Brasileiras", obra de Antônio Henrique Cunha Bueno e Carlos de Almeida Barata, 1ª Edição, Rio de Janeiro, Brasil, 1999. Citações.
144 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-324970-6?cc=2177275&wc=M5FL-YWB:369591901,369591902,370266301 : accessed 19 September 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Matrimônios 1795, Dez-1812, Nov > image 57 of 135; Paróquias Católicas, Minas Gerais (Catholic Church parishes, Minas Gerais).
[Assento do Casamento de Manuel Simões Diniz com Luiza Teresa de Figueiredo]:
Manoel Simoens Denis – Dona Luiza Tereza.
Registo.
Aos dois de Maýo de mil oitocentos, e tres annos depois de feitas as Denunciaçoens na forma do Sagrado Consilio Tridentino, e Constituiçoens deste Bispado sem se descobrir impedimento algum, e com Provizaõ do Reverendo Doutor Vigario da Vara desta Comarca na Capella da Senhora do Pilar do Registo filial desta Matris o Padre Manoel Rodrigues da Costa de licença minha aSistio ao Sacramento do Matrimonio dos contraentes o Capitam Manoel Simoens Denis filho legitimo de outro, e de Dona Roza Maria da Assumpçaõ natural da freguezia da Vila de Saõ Joze = E Dona Luiza Thereza de Figueiredo filha legitima de Joze Antonio de Figueiredo e de Dona Roza Joaquina da Costa natural desta freguezia: lhes deo as bençaons nupceaes na forma do Ritual Romano do que foraõ testemunhas o Padre Joze Faria Brum, e Joze Rebelo da Silva de que mandei fazer este acento que aSinei.
O Vigario Dom Agostinho Pitta de Castro.
147 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-318177-16?cc=2177275&wc=M5FL-L29:369591901,369591902,370496801 : accessed 29 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Óbitos 1808, Maio-1816, Abr > image 280 of 304; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Pesquisa e transcrição de Luiz Fernando Hisse de Castro: [Assento de Óbito de Manuel Simões Diniz]:
Mandei fazer este aSentto que aSignei
O Vigario Jozé Joaquim Ferreira Armonde.
Manoel Simoens Denis
Matris
Aos vinte dois de Fevereiro de mil oitocentos, e oito annos, falesceu com Sacramentos Manoel Simoens Denis cazado com Dona Luiza de Figueiredo; foi em comendado de licença minha pelo Padre Manoel Rodrigues da Costa, e sepultado na Capela da Senhora da Gloria dos Geraes felial desta Matris de Barbacena de que mandei fazer este acento.
O Vigario Jozé Joaquim Ferreira Armonde.
162 – SOUZA, Doutor Itamar Paixão − Livro "Reminiscências", com 188 páginas e 5 fotografias, impressão mimeografada do próprio Autor, Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais, Brasil. 1976. Citações.
181 – Internet, web – Projeto Compartilhar – sob coordenação de Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira. Inventário de João Teixeira Marinho – Arquivo do Fórum de Mar de Espanha, Minas Gerais – Caixa 1 – Disponibilizado por Nilza Cantoni. Citação.
231 – Pesquisas do autor em páginas divulgadas pela internet, web.


Autor deste trabalho genealógico:
Luiz Fernando Hisse de Castro
São José dos Campos
São Paulo - Brasil
07-07-2017

Nenhum comentário: